Mais um empate amargo para o Grêmio


Por: Jonata, jornalista, radialista e repórter na @rdgrenal.

Com apenas 2 pontos somados contra os últimos colocados, o Grêmio vê novamente a liderança do Brasileirão escorrer pelo dedos. Em mais uma noite de futebol medíocre, foi o Santa Cruz quem teve as chances reais de gol e poderia ter saído da Arena com a vitória.

Primeiro Tempo

O Grêmio foi à campo para buscar os 3 pontos e a liderança noite na Arena. Mas o time de Roger Machada tinha uma missão difícil pela frente. O Santa Cruz, que também precisava da vitória para sair do Z4. O time de Recife iniciou o jogo marcando forte e pressionando a saída de bola tricolor. Até os primeiros 10 minutos de jogo, eram os pernambucanos que tinham mais posse de bola e buscavam chegar a meta de Marcelo Grohe.

O Tricolor, pressionado, tentava sair da marcação e errava muitos passes, principalmente na intermediária. Os volantes gremistas não faziam uma boa partida e cometiam muitas faltas desnecessária. O Grêmio tinha dificuldades, saindo com ligações diretas e facilitando o trabalho dos defensores pernambucanos.

Passado os 20′ iniciais, o time de Roger começava a se acertar, voltando a ter mais posse de bola e buscando chegar ao gol de Thiago Cardoso. Sem oportunidades reais de gol, o Tricolor buscava, na base do tradicional toque de bola, a infiltração na defesa. Contudo, o Grêmio pecava no último passe e desperdiçava chances.

Ao 44′, foi o Santa Cruz quem teve a melhor chance de abrir o placar. Num contra-ataque, Keno foi carregando até a entrada da área e serviu Grafiti, que entrava livre às costas da zaga. Marcelo Grohe, cresceu frente ao artilheiro e conseguiu abafar a finalização, em boa defesa.

Segundo Tempo

No segundo tempo, com o baixo rendimento de Pedro Rocha, Roger optou pela entrada de Guilherme na extrema direita. Os times retornavam ao campo e a cena era a mesma do primeiro tempo.

O Grêmio tentava chegar ao gol e o Santa Cruz, bem postado no seu campo, levava vantagem em quase todas as investidas gremistas. Porém o Tricolor levava perigo nas bolas paradas. Aos 7′, com Miller, em boa cobrança, acertou o travessão. Em outra chance, depois de boa jogada de linha de fundo de Guilherme, o ponta cruzou na cabeça de Douglas. O meia acabou acertando a trave esquerda de Thiago Cardoso.

Sem conseguir chegar ao gol, o técnico Roger Machado tentava mexer no time e promovia a entrada de Henrique Almeida e Lincon, nos lugares de Negueba e Douglas. Com mais poderio ofensivo, o Tricolor aumentava seu volume de jogo e começava a se impor no campo ofensivo. Contudo, os pernambucanos, quando chegava, leva perigo ao gol de Marcelo, principalmente com Grafiti e Keno.

Muito abaixo das boas atuações que teve no Campeonato, o Grêmio sucumbia mais uma vez ao um time de menor expressão e da zona de rebaixamento. A torcida vaiava e com razão. O time sequer conseguia trocar meia dúzia de passes, fugindo muito de sua característica e errando muito na transição de bola entre as suas linhas.

O jogo ia caminhando para o seu final e a liderança, que era possível, agora era mais uma aspiração tricolor.

Craque Coca-Cola: Walace Reis

 

Ficha Técnica

Grêmio 0 x 0 Santa Cruz

Local: Arena do Grêmio. Arbitragem: Luiz Flavio de Oliveira (Fifa), com Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (Fifa) e Alex Ang Ribeiro (trio de São Paulo).

Cartões amarelos: Geromel (GRE); Danilo Pires, Jadson e Roberto (STC).Público total: 17.883. Renda: R$ 464.475,00.

Grêmio (0): Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Pedro Geromel, Wallace Reis e Marcelo Oliveira; Jaílson, Maicon, Negueba (Henrique Almeida), Douglas (Lincoln) e Pedro Rocha (Guilherme); Miller Bolaños. Técnico: Roger Machado.

Santa Cruz (0): Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Tiago Costa (Roberto); Derley, Jadson (Arthur), Danilo Pires e João Paulo; Keno e Grafite (Fernando Gabriel). Técnico: Milton Mendes.

 

 

 

 

Comentários