Guinther Spode, candidato à presidência do Inter, projeta gestão em caso de vitória: “Temos que ouvir pessoas de outras matizes, ser mais abertos”

Ghinter Spode compõe a chapa organizada pelo movimento Inter Grande, composta também pelo atual presidente colorado Marcelo Medeiros

Foto: Isadora Garcia / TRE

A Rádio Grenal deu início a uma série de entrevistas com os candidatos a presidência colorada para o triênio 2021/23. O primeiro turno está marcado para o dia 26 de novembro, quando votam somente aos membros do Conselho Deliberativo. O primeiro a ser entrevistado foi o candidato de situação, Guinther Spode, que representa o Movimento Inter Grande (MIG). Guinther foi presidente do Conselho Deliberativo Colorado e desembargador do TJ-RS.

A candidatura de Guinther foi a primeira a ser divulgada após o início do processo eleitoral. O candidato descreveu a experiência de concorrer para a presidência do clube: “Sem dúvida é o maior desafio da minha vida, até pela grandeza do clube. Seria não só para mim, mas para qualquer pessoa. Mas estou tranquilo, até porque a minha candidatura não resultou de um projeto pessoal meu”.

Como é o representante do movimento Inter Grande, o MIG, Guinther Spode é apoiador da atual gestão, comandada pelo presidente Marcelo Medeiros. Atualmente, o clube passa por um momento delicado financeiramente e isso deve ser desafio para o próximo gestor. Para superar esse e outros desafios, Guinther ressaltou sua vontade de abrir o clube para mais diálogos: “O que nos levou para esse caminho preocupante hoje é também a pandemia, que parou o futebol. E tudo que o clube faz é voltado para o futebol. Perdemos também nossa principal receita, que é o quadro de sócios […] Se nós temos dificuldades hoje, ela tem uma raiz. Nós temos que ouvir as pessoas de outras matizes, temos que ser mais abertos. Essa é uma opinião pessoal“.

Na última semana, o Inter recebeu a notícia da saída do técnico Eduardo Coudet enquanto era líder do Campeonato Brasileiro e em meio a outras duas competições. Em seu lugar, Abel Braga foi anunciado, primeiro nome procurado pela diretoria colorada após a saída do técnico argentino. “Sobre o nosso treinador, eu lamento sob todos aspectos essa saída. A gestão trabalhou com planejamento de médio/longo prazo, e evidentemente o treinador estava dentro disso […] A gestão não queria se comprometer com o longo prazo, porque não se sabe quem vai assumir o clube em janeiro. O Abel, como amigo da casa e conhecedor da casa, foi a primeira pessoa a ser procurada“.

Pensando na continuidade da gestão, o candidato destacou a vontade de dar mais atenção e investimento ao futebol feminino e às categorias de base: “A intenção é continuar investindo cada vez mais tanto na base quanto no futebol feminino. E o futebol feminino foi a área em que o clube mais investiu além do orçamento planejado”.

Confira a composição dessa e demais chapas

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Quatro chapas disputam a presidência do Inter; confira a lista
Categorias de base e união do clube como prioridade: o que diz José Aquino Flôres de Camargo, candidato à presidência do Inter
Deixe seu comentário