Grêmio e Inter preparam defesa para julgamento da Conmebol sobre as confusões no Grenal

Julgamento deve ocorrer na próxima semana

Foto: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)
RS - FUTEBOL/CONMEBOL LIBERTADORES 2020 /GREMIO X INTERNACIONAL - ESPORTES - Lance da partida entre Gremio e Internacional disputada na noite desta quinta-feira, na Arena do Gremio, valida pela Conmebol Libertadores 2020. FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

As confusões ocorridas no clássico Grenal, na última semana, deve ser analisadas nos próximos dias pelo Tribunal Disciplinar da Conmebol. Com quatro expulsões para cada lado, Grêmio e Inter já estão com as defesas preparadas, que devem ser encaminhadas até sexta-feira (20). A data do julgamento ainda não foi confirmada.

Conforme apurou a reportagem da Rádio Grenal, o Grêmio, por meio de seu departamento jurídico, já enviou sua defesa ao Tribunal. O Inter irá enviar sua argumentação até o dia de hoje e também irá prepara novas provas para realizar a sua sustentação, na data do julgamento. Os clubes podem solicitar a sustentação oral no julgamento, sendo esta realizada por videoconferência, na data do julgamento, ainda a ser definida.

Ainda não há data para o julgamento dos episódios ocorridos no dia 12 de março, na Arena. Oito jogadores foram expulsos na partida, que terminou em 0 a 0 e que entrou para a história da competição como o segundo jogo com mais expulsões na história do torneio.

Aos 40 minutos do segundo tempo, a partida se transformou em confusão generalizada no gramado, resultando em oito expulsões. A briga começou com um estranhamento entre Moisés e Pepê em uma dividida de bola, na lateral do campo. Após o lance, gremistas e colorados partiram para agressão que movimentou até o banco de reservas e a comissão técnica das equipes. Após a pancadaria, o árbitro Fernando Rapalini distribuiu cartões vermelhos: Luciano, Pepê, Paulo Miranda e Caio Henrique, pelo lado tricolor, e Victor Cuesta, Moisés, Praxedes e Edenilson, pelo lado colorado.

Conforme o Código Disciplinar da CONMEBOL, as punições previstas no artigo 16 do texto publicado em 2019, prevê:

  • b) Suspensão de no mínimo duas partidas na competição ou por um
    período de tempo específico por conduta violenta ou por agredir
    jogadores, ou qualquer outra pessoa presente na partida, exceto seus
    oficiais.
  • c) Suspensão de no mínimo cinco partidas na competição ou por um
    período de tempo específico por uma agressão ou menosprezo que
    seja considerado como grave pelos órgãos judiciais.
  • d) Suspensão de no mínimo seis partidas na competição no caso de
    cuspir em um jogador rival ou em qualquer outra pessoa que não seja
    um oficial de jogo.

Além das punições aos jogadores, os clubes também podem sofrer sanções de multas e a perda de mando de campo. Conforme apurou a reportagem da Rádio Grenal, os fatos ocorridos no clássico tiveram ampla repercussão negativa na entidade, que devem gerar punições duras aos envolvidos.

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Libertadores da América

Compartilhe esta notícia:

Vice de futebol diz que Inter monitora Aránguiz, mas cita dificuldades em contratações
Inter é punido com multa por conta de atraso na partida contra o Tolima, na Libertadores
Deixe seu comentário