Confira quatro técnicos que se encaixariam no estilo de jogo proposto pela direção do Inter

Com a iminente saída de Diego Aguirre, Inter deve ir ao mercado para buscar um novo treinador

Foto: Divulgações / Internet

Mesmo com a não oficialização ainda sobre o futuro na casamata colorada em 2022, tudo aponta que Diego Aguirre não estará presente. Independente do futuro do técnico uruguaio na Seleção Uruguaia, ou não, o Inter deve ir atrás de um novo comandante para continuar com a proposta propositiva prometida em campanha por Alessandro Barcellos.

No começo do ano, Barcellos e sua comitiva apostaram em um novo projeto encabeçado por Miguel Ángel Ramirez. Porém, após fracassos no Campeonato Gaúcho e Copa do Brasil, além da estagnação na evolução do futebol apresentado, o Inter se viu obrigado a fazer uma troca no comando técnico. Com Diego Aguirre, o clube gaúcho apaziguou os ânimos, mas retornou a ter um futebol defensivista.

Em 2022, o Inter deve novamente recomeçar um projeto que havia iniciado anteriormente. Aqui você conhecerá um pouco mais de quatro nomes que se encaixariam nos moldes de futebol que o clube deseja: os argentinos Hernán Crespo, Sebastián Beccacece e Eduardo Domínguez, além do brasileiro Roger Machado.

HERNÁN CRESPO

(sem clube)

Com passagens pela Itália, clubes da argentina, e em 2021 no São Paulo, Hernán Crespo (46 anos) tomou maior destaque como treinador quando venceu a Copa Sul-Americana com o Defensa y Justícia em 2020. Seu estilo de jogo é bastante característico usando goleiros que saibam sair jogando com bolas longas ou passes curtos.

Na defesa, Crespo recorre muito da marcação individual. Sob pressão, seu time persegue o adversário utilizando-se muito de encaixes e exigindo uma extrema capacidade física. Sem sobras, seus sistesmas defensivos apontam em diversos momentos uma aniquilação do adversário.

Seus esquemas preferidos ficam entorno do 3-1-4-2 e 3-4-1-2, com a saída de bola apoiada por um ou dois meio-campistas. Sem jogar normalmente com um camisa 9 fixo, Crespo busca a velocidade dos seus atacantes.

SEBASTIÁN BACCACECE

(Defensa y Justícia – ARG)

Sem sucesso como lateral-direito no profissional, Beccacece (40 anos) logo abandonou a carreira de jogador para focar suas atenções como treinador de futebol. Com temperamento forte a beira do gramado, o técnico argentino gosta que seus times tenham a bola independente do esquema tático.

Atuando principalmente em 3-5-2 ou 4-4-2, seus times fazem pressão alta e tentam recuperar a bola o quanto antes. Na saída de bola, o goleiro participa efetivamente com laterais se aproximando e dando opções. Outras alternativas ficam por conta de bolas longas, atraindo o adversário e assim atacando em profundidade.

Seu ataque assemelha-se bastante a Miguel Ángel Ramirez. Com dois extremas bem abertos e um centroavante, Beccacece utiliza-se bastante de ataques pelos lados, povoando a área para cruzamentos por cima e/ou rasteiros. Em suas jogadas ofensivas, é possível analisar alas dandos opções nos lados, e atacantes atuando por uma faixa mais central.

EDUARDO DOMÍNGUEZ

(Collón – ARG)

Um dos treinadores que mais tomaram destaques em 2021, Eduardo Domínguez (43 anos) foi o maior responsável pelo modesto Collón vencer seu primeiro título profissional da história em 116 anos. Seu estilo de jogo é bastante inadaptável, porém, usufrui de sistemas diferentes como o 3-4-1-2 ou 3-1-4-2.

Nos seus times, fica claro seu gosto pela pressão nos adversários e perseguições curtas nos setores. A pressão organizada e encaixes muito bem definidos caracterizam seus modelos. Com o meio-campo sendo o local mais povoado de jogadores, as laterais ficam basicamente com posições que ocupam o setor.

Ofensivamente, Domínguez aposta em inversão com bolas longas, ataques rápidos em profundidade, além de situações geradas no 1 x 1 em lados opostos das jogadas. Tabelas de “um/dois” característicos do futebol argentino também aparecem no estilo de jogo do treinador.

ROGER MACHADO

(sem clube)

O único brasileiro da lista de opções, Roger Machado (46 anos) começou a ganhar maior destaque nacional quando treinou o Grêmio em 2015, clube no qual marcou época como jogador. Seu estilo de jogo é baseado basicamente em um 4-2-3-1 na parte ofensiva, e um 4-4-2 com duas linhas de quatro na parte defensiva.

A saída de bola de seus times são mais próximas, sustentadas pelos laterais em toques curtos e jogo apoiado, quando não obtém pressão do adversário. Caso ocorra uma pressão do time de fora, um meio-campista desce e compõe a linha de três entre os zagueiros para dar inícios às jogadas.

Atacando, os laterais aparecem mais na linha de fundo. Já os pontas atacam por dentro, pela faixa central. Porém, algumas trocas entre as funções ocorrem durante a partida. Roger também atua com lançamentos longos utilizando-se da altura de seu centroavante, além de jogadas ensaiadas nas bolas paradas.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Destaque da base, Vinicius Mello é negociado com o futebol dos Estados Unidos
Clube espanhol comunica desistência pela contratação de Jean Pyerre
Deixe seu comentário