Após análises, Inter estabelece porcentagem de redução salarial a partir de maio

Foto: (Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

Após diversas análises quanto ao cenário de paralisação do futebol, o Inter chegou nas conclusões finais para definir os próximos passos visando reduzir os impactos nas finanças dos clubes. Com um fluxo menor no caixa, o corte nas despesas se torna inerente.

Nas análises realizadas pelos dirigentes, o clube tem trabalhado com três cenários de paralisação: 30, 60 e 90 dias. Nesta quarta-feira, em reunião entre membros da direção e dos departamento de futebol, jurídico e financeiro, a resolução foi pela adoção da redução salarial de cerca de 30% de todos os funcionários a partir do mês de maio. Do maior ao menor salário, a porcentagem de redução deve ser a mesma. E, neste sentido, o próximo passo será de encaminhar essa pauta com o grupo de jogadores.

Em consonância com a Comissão Nacional dos Clubes, o Inter ampliou o período de férias, que se encerraria no próximo dia 20 por mais 10 dias. No mês de março, o clube manteve o pagamento integral dos jogadores, cenário que deve se repetir em abril. Os atletas, por sua vez, já se mostraram compreensivos com o momento prevendo a situação de uma readequação salarial.

Com a parada das competições e a queda nas receitas, especialmente de bilheteria, o clube já tem mantido contato para renegociações junto a fornecedores, prestadores financeiros e com bancos credores.

Nesta quinta-feira, o Conselho Deliberativo do clube terá uma reunião virtual para a aprovação do balanço financeiro de 2019. Com a venda de Nico López, especialmente, o clube fechou a última temporada com um déficit menor do que o previsto, de R$ 13 milhões para R$ 3 milhões.

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Grêmio observa interesse do Porto em Juninho Capixaba; negociação pode gerar lucro de mais de 20 milhões
Grêmio recebe aval para postergar pagamento da 1ª parcela do empréstimo de Caio Henrique
Deixe seu comentário