Aguirre elogia Cuesta e Patrick e comenta retorno ao Beira-Rio: “Esperava uma vitória”

A derrota por 2 a 1 para o Palmeiras marcou o retorno de Diego Aguirre ao estádio Beira-Rio

Foto: Ricardo Duarte / S. C. Internacional

Na noite dessa quarta-feira (30), o Inter conheceu sua primeira derrota no comando de Diego Aguirre. O placar de 2 a 1 para o Palmeiras deixou o colorado na 14ª colocação sem conseguir dar uma sequência nos últimos resultados positivos. Após a partida, o técnico uruguaio falou em entrevista coletiva.

Analisando a partida, Aguirre explicou que no começo o Palmeiras conseguiu as melhores chances, tanto é que abriu o placar logo aos nove minutos. Porém, para o uruguaio, seu time logo depois conseguiu equilibrar. “Gostei do Inter nos últimos 20 minutos do primeiro tempo e tivemos boas situações para empatar o jogo”, comentou. O treinador frisou que futebol não é merecimento e que tem que aprender de maneira pontual com os erros.

Em sua primeira partida no Beira-Rio desde seu retorno ao Inter, Aguirre explicou ter sido um sentimento muito bom. “Claro que eu esperava uma vitória, mas futebol é assim. É melhorar para rapidamente voltar a vencer no próximo jogo, temos uma sequência difícil”, falou.

Acerca de novas contratações, o treinador explicou a possibilidade de um novo reforço, como o nome especulado de Gabriel Mercado: “Trabalhou comigo no Catar nos últimos dois anos. Mas não vou falar de jogadores novos a não ser que a diretoria comunique. Estamos trabalhando muito e acredito que temos um bom nível de jogadores”.

Questionado se um possível novo jogador para a zaga viria para fazer dupla com Cuesta ou ser um concorrente ao argentino, Aguirre explicou: “Acho que Victor é um jogador muito bom, tem muita qualidade. Respeito muito ele pois joga, ajuda, tem personalidade, é muito bom. É uma das possibilidades do time. Tem jogado muito bem no Inter nos últimos jogos. Quando se perde, às vezes temos críticas, mas para mim é um jogador de alto nível”.

Acerca sobre o planejamento para a partida, Diego explicou a escalação na meia-cancha: “Comecei com Johnny para fortalecer nosso meio campo, justamente para não tomar contra-ataque. Maurício teve um desgaste muito grande nos últimos dois jogos. Também estava voltando Boschilia que é um jogador muito bom”.

O treinador foi perguntado sobre a titularidade de Patrick, que vem recebendo críticas por parta da torcida e acabou não sendo substituído diante do Palmeiras: “É um jogador muito importante, sempre espero dele. Tem qualidade para definir o jogo. Coloquei ele um pouco mais para trás para fazer a saída de bola. Sei que ele tem uma sequência grande de jogos e talvez necessite descansar, mas às vezes não permitem. Temos que cuidar o elenco pois temos muitos minutos e desgastes. Mas hoje não fizemos isso”.

Mais uma vez o assunto acerca do psicológico dos jogadores foi pauta nas entrevistas do Inter. Sobre, o técnico Diego Aguirre frisou não acreditar: “Sinceramente acho que o Inter não tem um problema anímico. Hoje tomamos o gol e depois fomos melhor, propusemos o jogo. No segundo gol foi praticamente no último minuto, já não tinha tempo. Temos jogadores com muita vontade, atitude e que lutam e dão tudo pelo time. Temos que continuar trabalhando e pensar em vencer o próximo jogo”, reiterou.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Herrmann fala em “fato novo” e Romildo explica termo: “É a vitória”
Inter se une à prefeitura em campanha de doação de cobertores
Deixe seu comentário