Abel se torna o técnico que mais treinou o Inter e vibra com vitória sobre o Vasco: ”Dia especial”

Foto: Ricardo Duarte / S.C. Internacional

Após a vitória colorada por 2 a 0 sobre o Vasco em São Januário, o técnico Abel Braga destacou que o Inter pode ser campeão já na próxima rodada, no jogo contra o Flamengo. A partida contra a equipe carioca é de confronto direto, já que ambos seguem firmes na busca pelo título do Campeonato Brasileiro.

No entanto, a cabeça de Abel esteve mesmo focada apenas no jogo contra o Vasco. Tanto, que o técnico colorado levou a bola da partida para a casa, como forma de recordação. O treinador se isolou como o técnico que mais vezes comandou o colorado na história. Comandante da Libertadores e do Mundial em 2006, Abel está em sua sétima passagem e fez seu jogo de número 338 pelo colorado. Deixou para trás Teté, com 337. E não escondeu a felicidade e até certo alívio com a vitória em uma data emblemática.

”Era um dia especial para mim. Vocês falam tanto do velho. 338 jogos, num clube gigante. Imagina o que isso representou para mim. Estou com a bola do jogo, vai ser autografada quando tiver uma caneta apropriada. Não queria que nós perdêssemos um jogo desses.”, disse o treinador.

Ao mesmo tempo em que o Inter ia vencendo o Vasco em São Januário, o Flamengo, principal adversário na reta final da competição, ia vencendo o Corinthians no Maracanã, deixando a briga pelo título para a penúltima rodada, quando ambos se enfrentam.

Eu sei que no domingo agora, só pode o campeonato acabar se for para nós. E dependendo do resultado que acontecer, vamos levar para o último jogo. Vamos fazer nossa partida. (O Vasco) Não tiveram nenhuma chance. Porque aquela chance que seria, a defesa do Lomba foi fantástica. Mas o Cano estava impedido. É uma equipe que sabe marcar, sabe sair. Está com confiança alta. São 180 minutos. Vamos lutar por cada minuto desses.”, projetou Abel.

Contra o Vasco, o que marcou foram as reclamações sobre a arbitragem. Primeiro, a linha de impedimento do VAR não funcionou na checagem do primeiro gol, marcado por Rodrigo Dourado. Depois, o árbitro assinalou pênalti e aplicou o terceiro cartão amarelo a Víctor Cuesta por um pênalti cometido em Cano, muito contestado pelo Inter.

Abel evitou falar da atuação da arbitragem, citando a pressão recebida pelo árbitro Flávio Rodrigues. No entanto, lamentou a ausência do seu zagueiro titular para enfrentar o Flamengo.

”É muito difícil apitar numa situação dessas. Nós precisando vencer, o adversário não podendo perder. Uma pressão surreal. Eu não lamento ausência. Não achei justo porque vi nas imagens, desculpando o árbitro, porque é muita pressão de ambos os lados. O pior disso tudo é que ele (Cuesta) pegou o terceiro amarelo em um lance que não aconteceu.”, disse Abel.

Inter e Flamengo se enfrentam no próximo domingo, às 16h, no Maracanã, pela 37ª rodada do Brasileirão. Se vencer, o colorado é campeão do Brasileiro.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Inter supera o Vasco por 2 a 0 no São Januário e mantém a liderança
Abel Braga e os problemas para definir a dupla de zagueiros para encarar o Flamengo
Deixe seu comentário