Grenal na História: Grenal 412

O Grenal 412 ficou marcado por brigas entre os jogadores da Dupla

Foto: Diego Guichard

Marcado por ser o primeiro encontro após o primeiro rebaixamento da história do Inter, o Grenal 412 foi uma verdadeira batalha. No confronto ocorrido no dia 4 de março de 2017, na Arena do Grêmio, ambas as equipes marcaram 2 tentos, culminando em um empate por 2×2. O Grêmio, que havia sido campeão da Copa do Brasil no ano anterior, além de se preparar para a Libertadores que venceria ao final da temporada, marcou seus gols com Bolaños e Fernandinho. Já o Inter, que colhia os cacos do rebaixamento de 2016, marcou com os atacantes Roberson e Brenner.

Os comandantes das equipes eram os ex-jogadores Renato Portaluppi e Antônio Carlos Zago. O multicampeão gremista escalou a base de sua esquadra campeã da América: Marcelo Grohe no gol; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira formando a linha defensiva; Michel, Jaílson e Ramiro na meia cancha; Pedro Rocha, Luan e Bolaños comandando o ataque. Durante a partida, Renato tirou do banco Fernandinho, Barrios e o jovem, de 18 anos, Lincon.

Já Zago escalou o que tinha de melhor em um elenco que disputaria a Série B, entretanto, o plantel ainda estava em processo de montagem, portanto, remontava muito ao time base que caíra no Brasileiro: Danilo Fernandes na meta; William, Paulão, Léo Ortiz e Carlinhos sendo responsáveis pela defesa; Rodrigo Dourado, Charles, D’Alessandro e Uendel, improvisado, foram os meio campistas; Carlos e Brenner formaram a dupla de ataque colorada. Antônio Carlos ainda colocou as seguintes peças em jogo: O meia Anselmo e os atacantes Roberson e Nico López.

Após o apitar de Leandro Pedro Vuaden, parecia que a equipe de Libertadores dominaria a partida, tendo chances claras e boas chegadas à área colorada, com Pedro Rocha e Luan comandando as ações do jogo pelas laterais. Até que, em uma estocada aos 23 minutos da primeira etapa, Miller Bolaños abriu a contagem tricolor em um contra-ataque comandado por Pedro Rocha, desestabilizando os atletas colorados, que tiveram que ser reorientados pelo capitão D’Alessandro.

O primeiro tempo correu brigado até os 45 minutos, quando Vuaden apitou a virada de tempo. As equipes foram para o vestiário esfriar a quente cabeça. O Inter tomou uma injeção de ânimo para buscar a reação nos minutos finais de jogo, e surtiu efeito. Equipes em campo, apito trilado e bola rolando.

No segundo tempo, uma nova equipe colorada entra em campo, puxada por uma substituição mágica de Zago, Roberson, formado na base gremista, adentra a cancha para botar fogo no jogo. Aos 10 minutos, com passe de Brenner, Roberson incendiou a meta gremista com o gol de empate. 2 minutos depois, o Colorado aproveitou um Grêmio nas cordas para aplicar mais um gancho, este de cavadinha, chutada pelo, até então garçom, Brenner, encobrindo Grohe.

A estreia do paraguaio Barrios, ídolo do Borussia Dortmund, faz com que comece um temporal histórico na capital gaúcha. Para aproveitar os últimos minutos de campo leve, Renato coloca Fernandinho, homem de velocidade, em campo, que entende a missão e marca com apenas 3 minutos de cancha, chutando cruzado e contando com falha de Danilo Fernandes.

Os últimos 20 minutos de jogo se passaram abaixo de uma chuva torrencial, que impedia qualquer tipo de bom futebol de ser praticado. A aquosa partida foi finalizada por Leandro Vuaden com o empate no placar. Desta forma, cada time levou para casa 1 ponto na 6ª rodada do Gauchão.

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Memória Grenal: O solucionático e maravilhoso Dadá
Da guerra à paz: Vitão celebra 100 jogos com a camisa do Inter
Deixe seu comentário

No Ar: Grenal FC