Chegada de Ancelotti encerra sequência de treinadores gaúchos na seleção

O Rio Grande do Sul sempre produziu treinadores importantes para o futebol brasileiro. Desde 2006, após o fracasso do Brasil na Copa da Alemanha, apenas gaúchos vinham comandando a seleção. Essa sequência, porém, pode ser interrompida com a chegada de Ancelotti. Será que o italiano terá sucesso na missão? Torcedores de todo o país têm utilizado o Código do cupom KTO para tentar prever o futuro da “amarelinha”.

Após a saída de Carlos Alberto Parreira da seleção brasileira, em julho de 2006, Dunga foi o nome escolhido pela CBF. O ex-capitão do Brasil fez um bom trabalho e conquistou uma Copa América (2007) e uma Copa das Confederações (2009).

Entretanto, o grande objetivo era a Copa do Mundo de 2010, mas a seleção acabou sendo eliminada para a Holanda, nas quartas de final. O time havia feito um excelente primeiro tempo e vencia por 1 a 0. Na segunda etapa, porém, com grande atuação de Sneijder, os holandeses reverteram o placar e mandaram o Brasil para casa.

Com a saída de Dunga, foi a vez de Mano Menezes receber a sua chance no comando da seleção brasileira. O treinador nascido em Passo do Sobrado, porém, acabou sendo demitido antes da Copa de 2014 e o escolhido para substituí-lo foi Luiz Felipe Scolari.

Campeão com a seleção em 2002, Felipão não teve o mesmo sucesso em 2014. No Mundial sediado em casa, o Brasil acabou sofrendo a derrota mais dura de sua história: 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal do torneio.

A CBF, então, decidiu iniciar um novo ciclo com Dunga, que havia ido bem em sua primeira passagem. Mas, após ter sido eliminado ainda na primeira fase da Copa América de 2016, o gaúcho também foi demitido do comando da seleção.

Por fim, Tite, que havia feito um ótimo trabalho no Corinthians, recebeu sua oportunidade na seleção. Ele esteve à frente do Brasil em duas Copas do Mundo (2018 e 2022), mas acabou sendo eliminado nas quartas de final nas duas ocasiões.

Desde sua saída, a seleção esteve sob o comando de dois treinadores interinos: Ramon Menezes e, agora, Fernando Diniz. Mas o primeiro comandante oficial, desde a sequência de gaúchos, poderá ser Carlo Ancelotti.

A previsão é que ele assuma o Brasil no meio de 2024, após o término de seu contrato com o Real Madrid. Até a Copa de 2026, o italiano terá dois anos para ajeitar o time e deixá-lo em condições de brigar pelo título. Vejamos, portanto, como o experiente treinador vai se sair.

Voltar Todas de Brasileiro

Compartilhe esta notícia:

Marcos Leonardo do Santos: o próximo fenômeno brasileiro a brilhar nos campos da Europa?
Peru x Brasil: Escalação, Momento, Arbitragem e Transmissão
Deixe seu comentário

No Ar: Contra Ataque