Análise do Adversário do Grêmio nas Oitavas da Libertadores

Foto: Lucas Uebel/GREMIO FBPA

O Fluminense, atual campeão da Copa Libertadores, enfrentará o Grêmio nas oitavas de final, trazendo uma série de desafios e nuances táticas para o confronto. Com o segundo jogo marcado para o Maracanã, o clube carioca terá a vantagem de jogar a partida decisiva em casa, um fator não desprezível na competição continental.

Mudanças Defensivas e Desafios

Desde a saída do zagueiro Nino, negociado com o Zenit no início do ano, o Fluminense tem enfrentado dificuldades em manter a solidez defensiva que foi crucial para o sucesso na Libertadores de 2023. Nino era peça chave na saída de bola, famoso por sua habilidade de driblar atacantes e iniciar jogadas. Sem ele, o técnico Fernando Diniz teve que reajustar a defesa, utilizando Manoel, recém-retornado de suspensão por doping, e Antônio Carlos, contratado do Orlando City. A equipe também experimentou com o volante Thiago Santos na zaga, ao lado de Felipe Melo, ambos enfrentando desafios relacionados à idade e mobilidade.

A chegada de Thiago Silva, veterano da seleção brasileira e ex-Chelsea, adiciona experiência ao setor defensivo, embora ele também esteja avançando em idade, com 40 anos a serem completados em setembro.

Queda na Produção Ofensiva

No ataque, o Fluminense viu uma diminuição significativa nos gols de Germán Cano, artilheiro da última edição da Libertadores. Após marcar 41 gols em 2023, Cano encontrou a rede apenas cinco vezes em 19 partidas na temporada atual, evidenciando uma queda na eficácia ofensiva do time. Esta redução no poder de fogo é um ponto de atenção para o técnico Diniz, especialmente em uma fase eliminatória da Libertadores.

Estilo de Jogo e Desempenho Atual

Taticamente, Diniz manteve a estrutura de 4-2-3-1 que busca maximizar a posse de bola e pressionar o adversário no campo ofensivo. O Fluminense é o terceiro time com maior posse de bola na competição, atrás apenas de Atlético-MG e Independiente del Valle. No entanto, a equipe tem enfrentado uma queda de rendimento comparada ao ano anterior, com menos vitórias e mais gols sofridos, o que pode ser explorado pelo Grêmio.

O desempenho recente do Fluminense revela um time menos dominante do que o campeão de 2023. Com 14 vitórias, nove empates e sete derrotas em 30 jogos nesta temporada, o aproveitamento de 56,6% contrasta com os 66,6% do período correspondente no ano passado.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Times de Inter e Grêmio em 1938.
Grenal na História: Empate com muitos gols no Grenal 53
No Maracanã, Grêmio perde para o Flamengo pelo Campeonato Brasileiro
Deixe seu comentário

No Ar: Café Com Futebol