Zé Roberto ressalta carinho pelo Grêmio e destaca momento de “pegar os líderes e fechar o grupo”

Zé Roberto atuou no Grêmio de 2012 a 2014

Foto: Divulgação / Grêmio FBPA

Campeão de duas Copas Américas, duas Copas das Confederações, Champions, Campeonato Alemão, Campeonato Espanhol e muito mais, Zé Roberto é um dos grandes nomes da história do futebol mundial. Com passagem pelo Grêmio, já no fim da sua carreira, o ex-jogador conversou com o repórter César Fabris, nesta segunda-feira (22), comentando o atual momento tricolor.

Aos 47 anos, Zé Roberto atualmente participa de um projeto no Futebol 7 defendendo as cores do Resenha do Piauí, que disputa o Mundial de Clubes da modalidade. O jogador comentou estar “gostando bastante, sempre gostei de desafios. Temos que estar preparados para tudo”. O camisa 11 é companheiro de Léo Moura, no qual também marcou seu nome na história gremista. “Fui muito bem recebido aqui e agora encontrando o Grêmio, time que tenho um carinho muito grande”, ressaltou Zé.

Questionado sobre o atual momento gremista, Zé Roberto frisou estar torcendo muito para o que os gaúchos permaneçam na primeira divisão. Porém, destacou a dificuldade que é jogar o Campeonato Brasileiro: “Precisa de tempo mas no Campeonato Brasileiro você não vai ter isso. Hoje está muito nivelado”. Mesmo com um elenco recheado de jogadores experientes, o ex-jogador destacou que na sua opinião, a má fase tricolor passou por erros na saída de Renato Portaluppi. “Foi na transição, a recomposição de jogadores e de tentar manter o mesmo padrão, a mesma filosofia”.

Relembrando seu contato com o ex-técnico gremista, Zé Roberto contou que logo quando Renato e sua comissão técnica chegaram ao tricolor gaúcho identificaram quem eram os jogadores líderes dentro do campeonato. Em 2021, para o camisa 11 a “maior dificuldade foram as muitas trocas. Do treinador que era um líder. Já era o momento de trocar, mas saíram muitos jogadores importantes também. Grêmio começou a trazer outro jogadores e jogadores jovens e quando não se faz essa mescla você tem dificuldades”.

Apesar da situação difícil, Zé Roberto identificou que não é momento de saber o que deu errado “e sim do grupo se fechar e não estar muito ligado com o externo”. O ex-jogador comentou que Vagner Mancini tem um papel importante nesta retomada, e que o técnico precisa “pegar os líderes e fechar o grupo”, além de “focar nesses últimos jogos que restam e encarar cada partida como uma final”.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Grêmio tem sequência positiva e vê chances de rebaixamento diminuir
Paulo Paixão pede demissão do cargo de Coordenador de Preparação Física
Deixe seu comentário