“Mais 90 minutos”: Renato reconhece atuação abaixo do esperado contra Santos, mas aposta na partida de volta

Empate faz com que o Grêmio avance se houver igualdade no placar por dois ou mais gols no jogo de volta

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Nos últimos minutos na partida desta quarta-feira (9), o Grêmio respirou aliviado com o gol de pênalti de Diego Souza que empatou o placar em 1 a 1. Até o momento do gol tricolor, a equipe de Renato Portaluppi ia perdendo para o Santos, em casa, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores, mas conquistou o empate nos pés de seu artilheiro.

Em entrevista após a partida, o técnico gremista admitiu que sua equipe não fez uma atuação tão boa quanto esperava e valorizou o trabalho do colega Cuca, mas deixou claro que agora o placar fica em aberto para ser resolvido no jogo da volta, na Vila Belmiro.

Tem que dar parabéns para o Cuca. Realmente, ele tentou de todas as formas parar a equipe do Grêmio. Nem sempre vamos jogar bem. Não que tenhamos jogado mal, mas é Libertadores. Se tivéssemos perdido, estaríamos vivos. Com o empate, temos mais chances. Agora tem mais 90 minutos para jogar na Vila. Como o Santos tem uma grande equipe, nós também temos. Vamos medir forças. Quem vai passar, eu não sei, mas pode ter certeza que o futebol brasileiro estará bem representado”, disse Renato.

“O Grêmio não teve as atuações que vinha tendo, mas não foi mal. Mas o jogo está totalmente aberto. O Grêmio quando joga sempre faz gol, seja na Arena ou seja fora. Lógico que a gente quer que jogar bonito, inclusive com vitórias. Mas entre jogar bonito e vitórias, eu prefiro jogar mal e conseguir a vitória para passar a próxima fase“, destacou Renato, ainda sobre a partida de volta, se mostrando confiante na vitória da sua equipe fora de casa.

Mas a entrevista coletiva também foi marcada pelas polêmicas da arbitragem. O técnico falou sobre o pênalti marcado a favor do Grêmio no último minuto de jogo, que trouxe o empate ao tricolor:  “Pode ser contra o Grêmio, hoje foi o do Santos. No momento em que o jogador pula de braço aberto e abola pega no braço dele dentro da área, tem que dar o pênalti […] Se pegarem o jogo contra o Santos, no primeiro turno do Brasileirão, onde a bola pegou no braço do Paulo Miranda, é um lance parecido com este. Comparem. O que tem de diferente?”.

Ainda, Renato Portaluppi questionou a decisão do árbitro em dois lances da partida. A primeira, no cartão vermelho dado a Pinares, que depois foi retirado com a ajuda do VAR, e a segunda em um lance de encontro entre Marinho e Vanderlei. Para o técnico, o árbitro paraguaio Juan Gabriel Benítez errou nos dois lances.

“Na expulsão do Pinares, ele toca na bola e o árbitro tira o vermelho do bolso. Mas, se você vê a imagem, quem pisa, e poderia ter quebrado o tornozelo do Pinares, foi o jogador do Santos. Ele é que deveria ter sido expulso. O outro lance não é nem carrinho, mas uma voadora do Marinho no Vanderlei. Não precisa pegar (o carrinho) para ser expulso. É a intenção que vale“, concluiu.

O empate faz com que o Grêmio avance se houver igualdade no placar por dois ou mais gols no jogo de volta. A partida está marcada para a próxima quarta-feira (16), às 19h15.  Antes disso, o tricolor enfrenta o Ceará, neste sábado (12), pela 25ª rodada do Brasileirão.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Com gol de pênalti no último minuto, Grêmio empata com Santos no jogo de ida das quartas de final da Libertadores
Grêmio tem interesse no meia Benitez, com futuro indefinido no Vasco
Deixe seu comentário