Técnico Odair Hellmann cita frustração pela perda da Copa do Brasil e revela desejo de retornar ao Inter para ‘fechar a régua’

Treinador concedeu entrevista exclusiva à Rádio Grenal

Foto: (Divulgação/Fluminense FC)

Há quase quatro meses como técnico do Fluminense, a passagem pelo Inter ainda é pauta recente na carreira do técnico Odair Hellmann. Com uma saída turbulenta do colorado, o comandante afirmou seu desejo em retornar ao clube para ‘fechar’ a régua e conquistar o título da Copa do Brasil, que ainda é sinônimo de frustração, conforme revelou em entrevista exclusiva à Rádio Grenal, nesta quarta-feira (15).

“Faltou faixa. Faltou colocar a faixa daquela Copa do Brasil. Fica essa frustração. Vai ficar muitos anos essa frustração. Infelizmente não veio, mas vai ficar o orgulho pela minha participação no clube. Espero um dia voltar e conquistar essa Copa do Brasil para fechar essa régua”, declarou o treinador, fazendo menção à derrota para o Athletico-PR na final da Copa do Brasil de 2019.

Odair Hellmann foi demitido do Inter no início do mês de outubro de 2019, no dia seguinte à derrota por 1 a 0 para o CSA, no Rei Pelé, pelo Campeonato Brasileiro, após não resistir ao quarto jogo consecutivo sem vitória. Com 684 dias de trabalho no clube, o técnico comandou o colorado em 116 jogos, com 61 vitórias, 27 empates e 28 derrotas, sendo vice-campeão do Gauchão e Copa do Brasil. “A nossa retomada que depende do trabalho de todos foi muito boa. No nosso primeiro brasileiro chegamos em 3° do brasileiro, fazendo uma das maiores pontuações da história chegando na Libertadores de forma direta”, avaliou Odair sobre o seu trabalho no Inter.

Confira outras declarações de Odair Hellmann:

  • Trabalho no Fluminense

  • Elogios ao zagueiro Bruno Fuchs

  • Avaliação da carreira

Ouça a entrevista completa:

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Especiais

Compartilhe esta notícia:

VÍDEO: Falcão mobiliza craques da Seleção Brasileira de 82 no combate ao coronavírus
Adversário da dupla, técnico do América de Cali, Alexandre Guimarães mantém confiança na classificação em grupo “complicadíssimo”
Deixe seu comentário