“Sabemos que o tema da economia é muito importante, mas a vida é mais”, diz Kannemann sobre retorno das competições

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O zagueiro do Grêmio, Kannemann comemorou a possibilidade de voltar a treinar e os cuidados que o tricolor está tendo para evitar uma propagação da Covid-19. Entretanto, prega que as competições só voltem a ser disputadas quando elas forem de total segurança para todos os envolvidos. O defensor comentou sobre as circunstâncias que marcaram os primeiros jogos oficiais na Alemanha no final de semana, após a diminuição da pandemia no país europeu e ressaltou que entende a importância econômica que envolve o futebol, mas que existe um fator mais importante: a vida.

“É bom ver que os campeonatos começaram a voltar, mas ainda com algumas restrições. Os jogadores do banco dos suplentes estavam distanciados e com máscaras. Só os que estavam em campo estavam sem máscaras. Creio que estão tentando encontrar algum jeito para minimizar o risco e que o futebol continue. Sabemos que o tema da economia é muito importante, mas a vida é mais. Estão tentando e conseguiram encontrar o meio termo para continuarmos com a nossa vida, mas com os cuidados necessários para enfrentar o vírus”, destacou em entrevista para a assessoria de imprensa.

Nem mesmo a obrigação de treinar sem saber a data em que as competições serão retomadas incomodam o zagueiro que frisa a importância de estar com mente e corpo alinhados é consequência de uma boa rotina. “Eu gosto de treinar, fazer o trabalho físico e fico mais feliz depois de terminar. Não sabemos quando vai começar, mas eu acredito que é uma rotina boa, que faz bem para a cabeça e para o corpo. Além de me manter o melhor possível para quando os campeonatos voltarem”, afirmou.

Por decorrência da pandemia causada pelo coronavírus, o isolamento tornou-se parte da nossa rotina, queira ou não. Por isso, grande parte da população esta sem contato físico até com familiares mais próximos. Com Kannemann não é diferente. O jogador admitiu que sente saudade dos familiares que estão na Argentina, mas entende que o momento é grave e que todos passam por dificuldades no planeta. Ao ser questionado sobre como foi o período que ficou em casa devido o novo coronavírus, o defensor descontraiu. “Tive que comprar uma bicicleta e fiz bastante exercícios nela. Não tinha outra coisa para fazer (risos). Olhei seriados e brinquei com a minha filha, para ela não ficar chateada por ficar fechada (em casa), mas conseguimos passar de um bom jeito a quarentena”, concluiu.

Parte do elenco do Grêmio treinou fisicamente na manhã desta segunda-feira (18) no CT presidente Luiz Carvalho. No período da tarde, outros três grupos, de seis jogadores, farão as mesmas atividades dos companheiros.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

À espera de Diego Souza, Grêmio abre terceira semana de treinos
“Não chegou nada oficial do Napoli pelo Everton”, afirma vice-presidente do Grêmio
Deixe seu comentário