Reservas do Grêmio perdem no último jogo antes da Libertadores


Por: Diogo Rossi, Jornalista, radialista e Repórter na @rdgrenal

No último compromisso antes da final da Libertadores, o Grêmio foi até o litoral paulista enfrentar o Santos, adversário que costuma dar trabalho ao clube gaúcho quando joga em seus domínios. Sem a presença de Renato Portaluppi à beira do gramado – que ficou em Porto Alegre com o restante do elenco, os mandantes conquistaram a vitória pelo placar mínimo, gol do colombiano Copete, e conseguiram a manutenção no G4 do Campeonato Brasileiro.

Como já era esperado ao longo da semana, o time inteiro do Grêmio foi composto por atletas reservas. Paulo Victor, Leonardo, Rafael Thyere, Bressan e Conrado; Cristian, Machado, Kaio, Patrick e Dionathã; Jael formaram a equipe inicial, sob o comando de César Bueno. Nem mesmo o auxiliar tricolor, Alexandre Mendes, viajou a São Paulo.

Início promissor e grande atuação de Paulo Victor

O Grêmio até começou o confronto de forma surpreendente, considerando que jogara na Vila Belmiro e sem nenhum titular no gramado. Pelo lado esquerdo, o jovem Dionathã levou trabalho ao experiente Victor Ferraz. Em dois lances, o goleiro Vanderlei impediu os gaúchos de abrirem o placar. No primeiro, salvou a finalização de Machado da intermediária e, na segunda, Patrick chutou da marca do pênalti, mas também parou no camisa 1.

Se o Santos contava com Vanderlei, o Grêmio tinha um Paulo Victor inspirado na vila mais famosa do mundo. Com exceção ao gol de Copete, em contra-ataque com passe perfeito de Vecchio e “cavadinha” de muita categoria, o arqueiro tricolor teve atuação espetacular. Em duas oportunidades, Ricardo Oliveira ganhou no alto da defesa e cabeceio com muito perigoso, mas PV caiu em ambas e espalmou. Quando teve a chance de bater o goleiro tricolor, Bruno Henrique entrou livre na área e, após cruzamento, mandou de cabeça para fora. Dionathã, um dos poucos que tentou algo na partida, acertou a trave de Vanderlei, depois que carregou a bola pelo meio e arriscou da intermediária.

Na etapa complementar, o Grêmio pouco incomodou a defesa santista. César Bueno colocou Pepê, Lucas Poletto e Batista, nas vagas de Kaio, Dionathã e Patrick, respectivamente – todos estiveram no Campeonato Brasileiro de Aspirantes. O ataque santista continuou com a alta produção ofensiva, por vezes, explorando os contra-ataques, no entanto, o placar não foi modificado.

Mesmo com a derrota, o Grêmio se mantém na vice-liderança do Campeonato Brasileiro com 61 pontos. O Santos, por sua vez, permanece em quarto lugar, agora com 59 pontos. Na próxima quarta-feira (22), o clube gaúcho entra em campo pela Libertadores, na grande decisão, diante do Lanús-ARG.

Comentários