Renato isenta arbitragem na derrota contra o Fluminense: “Demos mole e pagamos caro por isso”


Por: Diogo Rossi, comunicador na @rdgrenal

“Não tem explicação, nós somos os culpados”. Essa foi a frase usada pelo técnico gremista, Renato Portaluppi, para responder as perguntas sobre por que a equipe foi derrotada de virada pelo Fluminense neste domingo (5), pelo Campeonato Brasileiro. E o comandante tricolor repetiu a declaração por diversas vezes.

Após muita reclamação dos jogadores do Grêmio em campo, sobre lances de pênalti e o uso do VAR, Renato deixou bem claro sua posição: “Quero isentar de qualquer culpa do jogo a arbitragem”, disse ele, elogiando o árbitro Raphael Claus e seus colegas. Portaluppi enfatizou que a culpa foi de sua equipe. “Conseguimos o placar, 3 a 0, e, de repente, nossa equipe — não todos, alguns — achou que o jogo estava ganho. E futebol tem 90 minutos”, disse o técnico gremista.

Porém, Renato foi evasivo ao apontar os erros específicos que levaram o grupo a perder por 5 a 4. “Demos mole e pagamos caro por isso”, disse o técnico derrotado, que não assinalou nenhum nome culpado, apenas afirmando que “Três ou quatro” jogadores se acomodaram em campo.

Agora é focar no jogo da quarta-feira (8), segundo Portaluppi, sobre a partida da Libertadores, contra a Universidad Católica, também na Arena. Ele defendeu Michel improvisado na zaga e também o goleiro Júlio César, que perdeu a bola, sofrendo o segundo gol do Flu. “Quando perde, perde todo mundo. Quando ganha, ganha todo mundo”, declarou, complementando: “Que sirva de lição”.

Jogadores

Júlio César, como não poderia ser diferente, tentou explicar o lance sobre o qual foi muito criticado: ” [A bola] Acaba me traindo e eu não consigo fazer a defesa”, justifica ele. O goleiro gremista também revela como Renato e a equipe o aconselharam no intervalo. “Passaram que foi uma infelicidade. São coisas que acontecem. Não deveriam, mas acontecem”, disse o atleta.

Everton se mostrou bastante inconformado com o resultado da partida. “A gente não pode fazer três gols e perder desse jeito”, disse o autor do segundo gol tricolor. Kannemann também falou. O zagueiro que marcou um, mas também cometeu um pênalti, foi mais ameno: “Infelizmente, hoje perdemos, mas bola pra frente. Já Cebolinha demonstrou urgência em dar atenção ao próximo compromisso. “Agora é virar a chave. (…) Foco total na Libertadores”, destacou o atacante.

Zagueiro

O diretor de futebol do Grêmio, Alberto Guerra, também falou à imprensa e o tema principal foi a busca do clube por um zagueiro. Guerra confirmou que estão procurando um atleta pasa a posição. “Faço a autocrítica de que já deveríamos ter resolvido essa questão”, diz ele, que explica a demora, destacando que não querem se precipitar. E que confiam no trabalho de Rõmulo e Michel, que atuam improvisados na área.

Comentários