Quatro anos com luvas e bônus por desempenho: saiba os detalhes da negociação de Borré com o Grêmio

Grêmio negocia a contratação de Rafael Borré, atualmente no River Plate

Foto: Divulgação / River Plate

O Grêmio através de seu presidente, Romildo Bolzan Jr., prometeu para a torcida trazer reforços de peso com renome mundial. Apurado pela equipe de reportagem da Rádio Grenal, o tricolor se reaproximou novamente de Rafael Borré, atualmente centrovante do River Plate.

A proposta tricolor agradou o atacante colombiano. Ao que se sabe, o tricolor ofereceu um contrato de quatro temporadas ao jogador de 25 anos, tendo suas luvas chegando ao valor de cerca de R$ 22,5 milhões e que seriam diluídos durante o tempo de contrato (cerca de R$ 500 mil por mês). Ainda, os salários “limpos” (livres de impostos), chegariam na casa dos R$ 700 mil mensais. Incluindo o valor de luvas e salário, o custo tricolor estaria na casa de R$ 1,2 milhões mensais.

Além do seu custo fixo mensal, o Grêmio está disposto a pagar uma bonificação (que não se sabe os valores espefícicos) em relação ao seu desempenho em campo, incluída nas cláusulas do contrato ao jogador. Seu custo ao fim das quatro temporadas, sem contar seus bônus previstos, chegariam a bagatela de, pelo menos, R$ 56,4 milhões.

O colombiano vinha sendo sondado também por Palmeiras, entretanto, o clube paulista já manifestou encerrar as negociações pelo atacante, pois a pedida salarial de Borré ultrapassou o teto estipulado da diretoria palmeirense. Sobretudo, outro fato que enfraqueceu as negocições do clube paulista pelo jogador, foi a solicitação que o mesmo fez acerca de uma recompensa ao River Plate, proposta esta que não foi aceita e deixou desgostoso tanto os empresários do atleta, quanto os dirigentes de São Paulo.

O Grêmio já informou ao atleta que não arcará com nenhum custo ao clube argentino e que sua proposta é apenas em relação ao jogador. Caso os millonarios quisessem se beneficiar de algo da negocição (e que não acontecerá), tendo em vista que o jogador já pode assinar um pré-contrato e sair de graça – teriam que pagar cerca de 3 milhões de dólares ao Atlético de Madrid, antigo clube de Borré e detentor de 50% dos seus direitos. Atualmente, Borré tem em mãos a melhor e maior oferta da América do Sul, vinda do Grêmio.

Sabe-se também que o colombiano já despertou e desperta interesse de clubes de outros continentes. Durante a negociação com o Palmeiras, o jogador recebeu sondagens do Toronto FC (Canadá) mas que logo em seguida foi negada por Borré pois não quer ficar fora do radar do cenário internacional tendo em vista que o clube canadente não atua em grandes ligas. No momento, outro clube interessado é o Celta de Vigo, de Eduardo Coudet. Dito diretamento para nossa reportagem, o técnico argentino não negou e desviou do assunto, entretanto, através de uma fonte ligada indiretamente ao treinador, foi informado que o clube espanhol já desistiu das negociações também pelos valores requeridos.

Ao longo do tempo, o Grêmio foi aumentando seus valores apresentados a Rafael Borré. Para a direção tricolor, entende-se que estas cifras chegaram ao seu máximo e que agora aguardam a resposta do jogador. Conquanto, o clube gaúcho não estipulou um prazo final, mas não esperará sua resposta por muito tempo, tendo em vista que isso atrasaria futuras negociações por outro jogador caso o retorno fosse negativo. Todavia, a postura dos seus dirigentes é cautelosa e afirmam que o negócio é muito difícil de ocorrer, porém não é descartado em virtude de que há um forte intermediador nas tratativas.

O atacante colombiano tem seu contrato encerrando no River Plate no dia 30 de julho. Caso feche com o Grêmio, o atleta seria inscrito na janela de agosto para poder atuar nas competições do tricolor.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Gauchão na KTO: Dupla Gre-Nal na luta pela liderança
CBF divulga calendário do Brasileirão 2021; confira os adversários da dupla Grenal na 1ª rodada
Deixe seu comentário