Presidente da Federação Gaúcha desconsidera retomada no Gauchão em sede única

Protocolo médico para volta do estadual foi apresentado ao Governo do RS

Foto: (Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini)

Em busca de alternativas para o prosseguimento do Campeonato Gaúcho em meio à pandemia da Covid-19, o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Luciano Hocsman, não vê com possibilidade duas situações: o término do estadual em sede única e a declaração do Caxias como campeão desta edição.

Em entrevista à Rádio Grenal, após a reunião com o governador do Estado, Eduardo Leite, Hocsman afirmou que a fórmula do Gauchão impediria que o Caxias, campeão no primeiro turno, fosse decretado como campeão desta edição.

“Não, não passou. Especialmente a declaração do campeão. Nada com o Caxias, mas uma questão conceitual. Essa situação, de terminar o Gauchão como está, não passou pela nossa cabeça. Ela é muito mais complexa. A própria fórmula do campeonato nos impediria de tomar uma decisão quanto ao campeão”, declarou o presidente da FGF,

Quanto às alternativas tratadas com o governador, o presidente Luciano Hocsman declarou que foi apresentado um procotolo de retorno, mas ressaltou que isso não significa a definição por datas. Além disso, o mandatário descartou que a disputa restante dos jogos seja realizada em sede única.

“Em princípio, não. Eu acho muito complicado em termos de logística e custo. Quase uma operação de guerra. Nas rodadas que faltam, são 6 jogos em cada. Não passa pela cabeça a condição de continuidade em sede única. Uma boa reunião, uma reunião de trabalho. Hoje, apresentamos um protocolo de retorno. Isso não quer dizer que estávamos apresentando datas, mas possibilidades de competição. Eu sigo com o que venho falando desde março: não tenho previsão de volta e nem de proximidade do retorno. Qualquer situação nesse sentido é especulativa. Essa decisão não está ao alcance da FGF”, completou Hocsman.

Protocolo médico será avaliado pelo governador Eduardo Leite

No encontro realizado entre governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite com o presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Luciano Hocsman e o secretário estadual do Esporte e Lazer, João Derly, nesta terça-feira, foi apresentado o protocolo médico estabelecido pela FGF para o possível retorno do estadual.

Segundo o governador, o documento elaborado pela FGF foi recebido e será avaliado para entrar no próximo decreto de distanciamento controlado, mas descartou a volta do campeonato neste momento. “Mesmo que retomássemos o Campeonato, ele levaria até dois meses para ser finalizado. Entre o período de treinos e o preparo para os jogos. O que vai determinar se terão mais ou menos restrições são os dados de cada região. Mesmo que o governo estabeleça a possibilidade de alguma forma de retorno, não há segurança para que isso seja garantido por um longo período”, explicou.

Entre as medidas apresentadas, o protocolo prevê:

  • Garantir testes de Covid-19 para todos os jogadores e membros da comissão técnica dos clubes;
  • 50 testes por clube quando da retomada dos treinamentos;
  • 50 testes por clube, no mínimo, 72 horas antes do reinício da competição;
  • Controle rígido com a questão da higiene;
  • Redução do número de pessoas em torno do gramado;
  • Redução do número de pessoas presentes nas delegações;
  • Recomendações aos clubes para o retreinamento.

 

 

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Futebol

Compartilhe esta notícia:

“O futebol emprega muita gente”, diz o árbitro de futebol, Jean Pierre Gonçalves Lima sobre o retorno das competições
“O grande pulmão do país é São Paulo”, diz Paulo Pelaipe após São Caetano anunciar que disputará a Série D de 2020
Deixe seu comentário