Parada no Brasileirão Feminino e quarentena: como ficam as atletas da dupla Grenal

Foto: Jéssica Maldonado / Grêmio FBPA

As atividades das equipes femininas da dupla Grenal também foram afetadas em função da pandemia do coronavírus. Com a determinação da CBF de interromper por tempo indeterminado as disputas nacionais, no Campeonato Brasileiro Feminino, as séries A1 e A2 também foram suspensas. Até a parada do campeonato, o Grêmio alcançou a 6º colocação, com nove pontos em cinco jogos, e o Inter é o 8º, com oito, mas quatro partidas disputadas.

Com a decisão da suspensão do campeonato e sem data definida para a volta, o Grêmio optou por dar férias coletivas às suas atletas até o dia 20 de abril, e, além disso, cedeu as instalações do Vieirão, onde a equipe treina, para o acolhimento de pessoas em situação de rua e que necessitam de isolamento para a contenção do coronavírus. Com as atletas de férias, o Grêmio reuniu uma série de medidas para tentar amenizar a situação da parada e proteger as jogadoras de contrair a doença.  A preparadora física Karla Loureiro, explicou como os trabalhos estão sendo realizados:

“Elas recebem uma cartilha, onde elas têm sugestões de atividades que elas podem realizar nesse período em casa, seguindo todas as orientações da equipe médica. Essa cartilha é multidisciplinar, em que elas recebem recomendações de hábitos saudáveis, questões nutricionais, qualidade do sono,  enfim, questões que podem influenciar nos níveis de imunidade delas”, ressaltou Karla.

No Inter, as atletas, assim como a equipe masculina, foram instruídas a ficarem em casa, de quarentena, e manterem hábitos saudáveis para evitar o contágio do coronavírus. As gurias coloradas estão sendo orientadas diariamente pela preparadora física, Suellen Ramos, através de um planejamento montado pela comissão técnica, que além da parte física, inclui alimentação e cuidados com a saúde.

Luana Spindler, atacante colorada, explica como está sendo sua rotina: “O Clube está dando toda assistência necessária que precisamos nesse momento, a preparadora física passa todos os dias o treinamento, muitas vezes acabamos fazendo treinos por vídeo, todas juntas, pra que possamos ter convivência de novo, e isso está ajudando muito”.

“Muitas vezes faço dois treinamentos por dia, até porque no Inter tinha isso. A intensidade dos treinos não é a mesma, mas pelo espaço que eu tenho, e pelas condições que nós temos, de ter que treinar dentro de casa, eu acredito que estou fazendo o melhor possível e treinando todos os dias”, contou Luana.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Matérias Especiais

Compartilhe esta notícia:

Especial: Inter no ritmo no Tango
Da defesa ao ataque: os números dos reforços gremistas até a parada das competições
Deixe seu comentário