O Inter inicia nesta quinta a disputa das oitavas de final da Copa do Brasil com o Paysandu

O Inter inicia nesta quinta-feira (23) a disputa da Copa do Brasil. Com um título no torneio, o Colorado enfrenta o Paysandu, às 20h, no estádio Beira-Rio, pelo jogo de ida das oitavas de final. Será a estreia da equipe, já que os clubes que estavam na Libertadores entram direto nesta fase.

A preparação para o confronto chegou ao fim na tarde desta quarta (22), com um treinamento no CT Parque Gigante. Sob a chuva que caiu em Porto Alegre, o elenco colorado treinou forte na última atividade antes de entrar em campo. Em um primeiro momento, o treinador Odair Hellmann comandou um trabalho tático com o provável time que deve entrar em campo nesta quinta: Marcelo Lomba; Zeca, Emerson Santos, Cuesta e Iago; Lindoso, Edenilson, Nonato, D’Alessandro e Nico López; Paolo Guerrero. Lembrando que o comandante não poderá contar com Rodrigo Moledo, Rodrigo Dourado e Patrick.

Antes do treino, o argentino D’Alessandro concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do CT Parque Gigante e falou sobre a expectativa para a estreia na Copa do Brasil. “Será um mata-mata difícil. É importante a gente conquistar a vitória, nosso primeiro objetivo é ganhar e, depois, se tiver condições, fazer um placar maior. Mas temos que ir para o segundo jogo com uma vantagem”, afirmou o camisa 10.

Recomeço

Esta quinta-feira poderia ser só mais um dia de treino, preparação, véspera de jogo, mas não para Danilo Fernandes. Neste 22 de maio, o goleiro completou três anos desde a primeira partida com a camisa 1 do Inter. Foi nesta data em 2016, que ele começava a conquistar a confiança do torcedor e seu espaço no time. Passado o período, o presente, por ironia do destino, se contrasta com o passado.

Com a responsabilidade de substituir o ídolo Alisson, Danilo jogou no estádio do Morumbi e foi um dos personagens da vitória colorada sobre o São Paulo pelo placar de 2 a 1. Com segurança e belas defesas, o goleiro conquistou seu espaço. Naquele ano, mesmo com a queda do time para a segunda divisão, foi o herói da equipe e um dos únicos atletas aplaudidos pela torcida nos momentos difíceis.

“Foi uma estreia como muitos sonham. Vitória fora de casa e contra uma equipe grande de nosso país. Fico feliz em ter ajudado o time naquela oportunidade. Entrei com tranquilidade, com o apoio dos companheiros e da torcida. Agradeço muito, pois sempre recebi a confiança e o carinho de todos. Isso foi importante para substituir o melhor goleiro do Brasil e titular da Seleção Brasileira. Estrear pelo Inter foi marcante e jamais vou esquecer disso”, destaca Danilo.

Três anos após a estreia, o goleiro mantém tabus e marcas pela equipe gaúcha. Dois fatos que o colocam com status de ídolo é sua invencibilidade em clássicos Grenal e seu esforço para defender o Inter na final do Gauchão 2017. Naquela oportunidade, com uma lesão no metatarso, jogou os 90 minutos e participou da decisão de pênaltis contra o Novo Hamburgo.

As bons desempenhos chamaram a atenção do técnico Tite e em 2017 foi convocado para a Seleção Brasileira, para o amistoso contra a Colômbia.

O ano de 2018, no entanto, não trazem tantas lembranças boas para o jogador. Depois de atuar em 20 jogos, Danilo sofreu uma lesão no ombro, que o tirou do time no restante da temporada. O goleiro sofreu uma ruptura no tendão do ombro e precisou passar por cirurgia. Na ocasião, o tempo de recuperação foi estimado em quatro meses. Coube ao companheiro Marcelo Lomba ocupar a meta.

Hoje, já recuperado, o arqueiro já participa normalmente das atividades. Recentemente passou a ser relacionado para os jogos. Assim, como lá no início, Danilo trabalha em busca de reconquistar seu espaço no time titular de Odair Hellmann.

 

Voltar Todas de Esporte

Compartilhe esta notícia:

Câmara de Vereadores lançará Campanha do Agasalho em parceria com a Dupla Gre-Nal
Grêmio e Juventude empatam no 0 a 0 e decisão fica para Arena
Deixe seu comentário