O Grêmio empatou em 1 a 1 com o Flamengo no primeiro jogo das semifinais da Libertadores


Por: fabriciaalbuquerque,

Em campo dois dos melhores times do Brasil na atualidade. Na noite chuvosa desta quarta-feira (2), Grêmio e Flamengo se enfrentaram em Porto Alegre na primeira partida das semifinais da Libertadores da América. Em jogo protagonizado pelo VAR (árbitro de vídeo), as equipes empataram em 1 a 1.

Os gols foram marcados por Bruno Henrique, para o Flamengo, e Pepê, para o Grêmio.

Durante toda a primeira etapa, o Rubro-Negro teve dominou a partida e chegou a marcar dois gols, ambos anulados pela arbitragem com auxílio do VAR. O primeiro em razão de um empurrão falta em Kannemann, e o segundo por impedimento.

Na segundo tempo, quando o Tricolor melhorou, o time visitante abriu o placar com Bruno Henrique. Já o final da partida, Pepê, que havia entrado no lugar de Alisson, empatou o jogo para tranquilizar os mais de 50 mil torcedores presentes na Arena.

Primeiro tempo

O time carioca começou atacando e era possível sentir que o jogo estava tenso, acirrado e muito disputado. Porém, era o Flamengo que ficava com a bola e não deixava o Grêmio pressionar.

Com isso, a primeira tentativa clara de gol foi do time de Jorge Jesus. Aos sete minutos, Gabigol fez linda tabela com De Arrascaeta, que devolveu de letra na área, mas Matheus Henrique travou o chute e salvou o Grêmio. Depois foi a vez de Bruno Henrique tentar: o atacante chutou de fora da área e a bola passou perto do gol.

Pelo Grêmio, Alisson tentou da entrada da área, mas a bola saiu por cima do gol de Diego Alves. O Tricolor não conseguia manter a posse de bola e tentava jogadas diretas. Aos 12, o Flamengo estava com 74% da posse de bola.

O VAR logo apareceu, aos 20, em um lance que seria o primeiro gol do Flamengo. O Rubro-Negro marcou com Everton Ribeiro na sobra, mas o árbitro foi para o vídeo e viu um empurrão de Gabigol, fora do lance, em Kannemann. Depois, mais um gol anulado do time carioca: Gabigol fez, mas estava impedido.

Parecia que a noite seria do VAR, já que, aos 39, mais uma vez o árbitro utilizou a tecnologia de vídeo para saber se daria cartão vermelho direto para Michel. Ao analisar, no entanto, apenas amarelou o gremista.

Segundo tempo

A segunda etapa não teve modificações, mas o Grêmio voltou a campo melhor. O Tricolor buscava mais o jogo e conseguiu emparelhar. As tentativas aconteciam, com maior intensidade, mas sem levar perigo ao gol adversário.

A partir dos 18 minutos o time colocou pressão no Flamengo. Primeiro, Luan deixou Everton Cebolinha de cara com o goleiro. O atacante chutou e Diego Alves operou um milagre. Depois, mais uma grande tentativa perdida pelo Tricolor. Matheus Henrique chutou de fora da área e o arqueiro espalmou mais uma.

Aos 23, momento em que o dono da casa era melhor na partida, o Flamengo abriu o placar.  De Arrascaeta cruzou da direita, Bruno Henrique subiu nas costas de Rafael Galhardo e colocou o Flamengo na frente.

Depois disso, Renato começou com suas trocas. Tirou Tardelli para colocar André. Aos 34, o Flamengo teve mais um gol anulado. E o técnico gremista continuou com as trocas: tirou Alisson e Michel para a entrada de Pepê e Maicon.

O visitante, não satisfeito com um gol, continuou atacando e levando perigo. Porém, aos 43, Pepê empatou a partida após cruzamento de Everton.

O jogo de volta da fase semifinal da Libertadores está marcado para o dia 23 de outubro, às 21h30min, no Maracanã, no Rio. Para se classificar o Tricolor precisa de uma vitória ou de um empate a partir de dois gols. Um 0 a 0 dá a vaga na final  ao Flamengo e um novo 1 a 1 leva a decisão para as penalidades máximas.

A grande final da competição sul-americana será decidida, pela primeira vez na história, em um jogo único. A partida será no dia 23 de novembro, em Santiago, capital do Chile.

Ficha técnica

Grêmio: Paulo Victor, Kannemann, David Braz, R. Galhardo, Cortez, M. Henrique, Michel (Maicon), Luan, Alisson (Pepê), Everton e Diego Tardelli (André). Técnico: Renato Portaluppi.

Flamengo: D. Alves, Rafinha, R. Caio, P. Marí, F. Luís, W. Arão, Gerson (Piris da Motta), De Arrascaeta, E. Ribeiro, B. Henrique (Vitinho) e Gabriel B. Técnico: Jorge Jesus.

Arbitragem: Nestor Pitana (ARG), auxiliado por Juan Belatti (ARG) e Hernan Maidana (ARG).

VAR (árbitro de vídeo): Mauro Vigliano (URU).

Comentários

>