“O árbitro disse que ia deixar empatar para sairmos vivos”, diz Paulo Roberto sobre a batalha de La Plata

O Grêmio está prestes a escrever mais um capítulo glorioso em sua história. A partida na Arena, na última quarta-feira (22), teve todos os componentes de uma grande final, e além disso, agregou mais fatores que podem incendiar a partida e transforma-la em uma batalha. Teve cartão questionado para ambos os lados, reclamação da não utilização do recurso de vídeo em um possível pênalti não marcado em Jael no final da partida. Enfim, a partida de volta em Lanús, ganha contornos de batalha não só por se tratar de uma final entre brasileiros e argentinos, mas sim por todo o contexto que envolve o momento das duas equipes.

O lateral direito do Grêmio na “Batalha de La Plata”, Paulo Roberto Coelhinho conversou com o repórter e apresentador da Rádio Grenal, Kalleb França e fez uma relação sobre o ocorrido em 9 de julho de  1983 e o que tricolor precisa cuidar para o jogo de logo mais.  Lembrando que naquele ano o tricolor saiu na frente dos argentinos do Estudiantes, porém,  por conta da violência, e para que o jogo pudesse terminar de forma mais tranquila o próprio árbitro comentou com alguns atletas que teria de deixar empatar o jogo parque a integridade física dos atletas fosse preservada.

Confira a entrevista na íntegra:

 

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Fábio Koff: “Que os gremistas tenham fé, tudo vai dar certo”.
Grêmio vence o Lanús na Argentina e é tricampeão da Libertadores
Deixe seu comentário