“Não sei com qual camisa vou encerrar minha carreira, mas não vai ser com a do Inter”, diz Rafael Sóbis após passagem conturbada pelo Colorado

Como em 2011, Inter optou por não renovar contrato com Sóbis.

Foto: Ricardo Duarte/Internacional

Em meio a pandemia do coronavírus, o futebol está paralisado e isso todos sabemos. Mas o que não temos conhecimento é sobre quando veremos a bola rolar nos gramados de tantos estádios de futebol por esse Brasil à fora. Em entrevista exclusiva à Rádio Grenal, Rafael Sóbis, ex-Inter e, agora, atacante do Ceará destacou pontos importantes que envolvem o retorno do futebol brasileiro e comentou sobre sua última passagem, um tanto conturbada, pelo Inter. Aos 34 anos, Sóbis é o jogador que coleciona títulos importantes como campeão brasileiro, mexicano, da Copa do Brasil e da Libertadores, além de ter conquistado a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Treinamentos e retorno do futebol

A dupla Grenal retomou os trabalhos na primeira semana de maio, obviamente que tomando os devidos cuidados estipulados pelos governantes e pelos órgãos de saúde. Entretanto, outros clubes ainda não voltaram a trabalhar em seus respectivos Centros de Treinamentos. É o caso do Ceará. A proposta do grupo técnico de trabalho montado pelo Governo do Ceará para planejar a retomada gradativa das atividades no Estado prevê treinos dos clubes de futebol em sua primeira fase. A informação foi dada pelo titular da Secretaria do Esporte e Juventude do Ceará (Sejuv), Rogério Pinheiro, em entrevista ao Futebol do Povo, nesta terça-feira, 26.

O documento ainda será avaliado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) e pelo próprio governador Camilo Santana, por isso pode sofrer alterações. Em caso de aprovação, entretanto, a previsão é de que os jogos de futebol possam ser retomados a partir da terceira fase do plano. Há uma expectativa de que o reinício de atividades comece a partir de 1º de junho, mas não há data inicial definida. Os atuais decretos estadual e municipal de isolamento social para evitar a disseminação do coronavírus vencem no dia 31 de maio.

Segundo Rafael Sóbis, não dá para realizar um planejamento à longo prazo ou estipular datas para o retorno do futebol em geral, tendo em vista que, diariamente, as coisas mudam no país. “No nosso país é mais complicado. Pelas dimensões e pelo entendimento bem diferente do vírus, temos visto isso nas notícias e na TV. É difícil ter uma opinião sobre isso. Estamos vivendo uma coisa louca. Estamos apenas na expectativa, respeitando os protocolos e o que os governantes vêm passando. Com toda essa loucura não dá pra pensar em algo mais à frente porque o panorama muda a cada dia.”

Trajetória no Internacional

Todos conhecemos a trajetória brilhante e vitoriosa de Sóbis no Inter. Posto isso, ao mesmo tempo em que é inegável a relação de amor entre Rafael e Inter, os momentos de atrito também se fazem presente na história construída entre jogador e clube. O torcedor é quem apoia, mas também cobra. O atleta, que ganhou mais aplausos que vaias no Beira-Rio, também já foi criticado e, em outros tempos, chegou a discutir com torcedores do colorado.

No ano passado, Sóbis e Internacional retomaram a relação interrompida em 2011. Desta vez, ao contrário das outras passagens, não teve título. E o que poderia significar um final feliz com a possibilidade de até encerrar a carreira no Beira-Rio não aconteceu. Assim como já havia acontecido da última vez, o Inter novamente decidiu não renovar com o jogador. Para ele, o Inter é página virada. “Claro que eu gostaria, mas já passou. É página virada na minha vida. Não sei com qual camisa vou encerrar minha carreira, mas não vai ser com a do Inter”, explica.

Em meio ao caos que paira sobre a maioria das pessoas, momentos importantes do futebol brasileiro estão sendo relembrados. Conquistas do Inter, por exemplo, são retransmitidas afim de proporcionar ao torcedor a possibilidade de rever determinado jogo tão importante na história do clube. Devido a sua última passagem pelo colorado, Rafael evita relembrar os títulos em que ajudou o clube a conquistar e diz que o trabalho realizado em tais ocasiões devem ser valorizados. “Eu confesso que estou bem alheio, até em questão de Internet. A minha última saída foi bem difícil para mim, até pela maneira como foi. Está lá gravado, ninguém vai tirar. Temos que valorizar o que foi feito. Não foi pouca coisa não.”

Cruzeiro

Rafael Sobis, campeão mineiro em 2017 e bicampeão da Copa do Brasil com o Cruzeiro, disse que não deixou a Toca da Raposa magoado, inclusive, não tinha conhecimento do que viria a ser revelado logo depois. A saída dele ocorreu antes da revelação de irregularidades na atual administração do Cruzeiro em maio. Na temporada, Rafael Sobis somou 38 jogos pelo Cruzeiro, grande parte na condição de reserva. Foram 11 partidas pelo Mineiro, 19 no Brasileiro, quatro na Libertadores e na Copa do Brasil. Sobis deixou sua marca sete vezes em 2018 (três no Estadual, três no Brasileirão e uma vez na Libertadores. A pedido do atacante, ele ficou fora dos últimos três duelos do Cruzeiro em 2018. “Acima de tudo triste ver o que fizeram com o clube. Quando fui para o Cruzeiro, não tinha problema de atraso. Quando saí também não tinha problema algum. E agora essa bomba, cada dia uma surpresa maior”, frisa.

Ceará

Uma das principais contratações do Ceará para este ano, Sóbis logo se firmou no time titular do Alvinegro e um dos jogadores mais queridos pelo torcedor. O atacante atravessava o seu melhor momento com a camisa do Vovô quando todas as competições nacionais foram paralisadas por causa da pandemia de coronavírus, tanto que nos últimos quatro jogos disputados, foram cinco gols marcados. “Até a parada nosso time estava em um crescimento absurdo. No início, apesar dos resultados vinhamos tendo algumas dificuldades, porque eram muitas novas contratações. Depois, vinhamos encaixando, mas parou e nosso treinador foi pro Cruzeiro”, compreende.

Com a saída do Inter, Rafael Sóbis retomou uma conversa iniciada em 2018. O Ceará, hoje bem estruturado e com o elenco mais caro de sua história, voltou a procurar o atacante, e desta vez ele cedeu. Ceará e Sóbis ainda estão invictos em 2020. O ano que começou com muitos empates foi melhorando a cada partida, assim como o desempenho do jogador, que, após passar oito jogos em branco, tirou o atraso e marcou cinco gols em três partidas. “Do meio para frente joguei em todas posições. É questão de encaixe. Da cabeça lembrar os movimentos de cada função. Estou como 9, mas nada impede de jogar com outro centroavante. O futebol cearense está querendo mudar a visão do resto do Brasil em relação a eles. Já tive uma proposta do Ceará antes, mas deixei claro que minha preferência era do Inter e assim aconteceu. Logo depois retornaram a fazer proposta, achei boa e aceitei”, explica.

O futuro de Rafael

Perto dos 35 e com contrato até o fim do ano com o Ceará, Rafael Sóbis já começa a pensar em despedida. Ainda quer continuar jogando, mas enquanto estiver satisfeito com o que produz em campo. Penduradas as chuteiras, Rafael Sóbis deve, enfim, tirar o futebol do seu mundo. Depois de priorizar o futebol desde pequeno e perder momentos importantes da vida, ele não quer deixar isso se repetir e destaca que o meio futebolístico é composto por pessoas ruins. “Estou me preparando há anos para ter o meu retiro. Não pretendo trabalhar no futebol. É muito sujo, as pessoas são ruins. Não vou querer nem passar perto de um estádio de futebol.”

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Entrevistas Especiais

Compartilhe esta notícia:

Confira a entrevista do jornalista Pedro Bial à Rádio Grenal
ÁUDIO: ídolos do Grêmio relembram momentos históricos em entrevista especial na Rádio Grenal
Deixe seu comentário