“Montaram um time com características de Série A e não de Série B”: Guto Ferreira fala sobre passagem com o Inter na 2ª divisão

Treinador é novo comandante do Ceará para 2020

Foto: (Ricardo Duarte/Divulgação/S.C.Internacional)

Contratado pelo Inter em maio de 2017 para levar a equipe de volta à elite do futebol nacional, Guto Ferreira revelou as dificuldades encaradas para comandar o clube na 2ª divisão. Um dos principais problemas enfrentados, segundo o treinador, em entrevista à Rádio Grenal, nesta quinta-feira, foi no estilo de montagem do elenco.

O trabalho de Guto durou 33 rodadas no colorado até a demissão a três jogos do fim da Série B do Brasileirão. Neste período, o treinador apontou que a maior dificuldade foi com a falta de características dos jogadores com o estilo de disputa no campeonato.

“Chegamos no meio de um turbilhão de problemas gravíssimos, com uma pressão desenfreada, e a torcida cobrava resultados e o clube não conseguia dar e também não apresentava desempenho. Montaram um time com características de Série A e não de Série B. Jogadores sem características de disputa física, jogadores acostumados com gramado em perfeitas condições. Essa foi uma dificuldade grande”, declarou o treinador.

Entre os jogadores com a falta de tais atributos, Guto citou o nome de Nico López, ao qual fez críticas as suas características técnicas: “A Série B tem uma marcação muito forte. Você precisa de um jogador de força, de retensão de bola e esse cara no time era o Pottker. No esquema que a gente jogava, não tinha uma posição que o Nico se encaixasse. Não era um centroavante, nem um jogador de lado, pois não ajudava na marcação. Não fazia um movimento para ajudar a marcar. Ele vai bem circulando atrás do centroavante. Mas depois evoloiu e com o Odair (Hellmann) jogou assim e por isso se destacou”. Nesta linha, o comandante falou sobre os jogadores, que naquela ocasião, se “sacrificaram” para se encaixar na proposta de jogo: “Eu encontrei problemas, mas fui ajustando. O Sasha se sacrificou para jogar pelo lado. O Klaus, de força, complementou o Cuesta (Victor) na defesa. A entrada no Damião nos ajudou muito também.”

A passagem pelo clube gaúcho ainda é pauta na Justiça. Mesmo demitido três rodadas antes do final da competição, o treinador cobrou a premiação ao qual teria direito em caso do acesso do Inter à Série A, como de fato ocorreu: “Fiz um acordo com o Inter em dezembro para que o clube me pagasse em suaves prestações. Com essa pandemia, houve a solicitação do clube para o adiamento desse pagamento por alguns meses. Estamos avaliando. É essa a situação. Não é a questão de mágoa, foi a maneira que fomos tratados naquele momento da negociação.”

Guto Ferreira já tem um novo desafio para este ano. O treinador já foi anunciado pelo Ceará, mas ainda não pode iniciar o trabalho por conta da pandemia do coronavírus.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Entrevistas Especiais

Compartilhe esta notícia:

Zico comenta sobre chegada de Eduardo Coudet ao Inter e explica mal entendido ao comentar sobre Pepê, do Grêmio
‘Bateu na trave’: Paulo Baier revela quase ida para o Grêmio
Deixe seu comentário