Mesmo com folha salarial na casa dos R$270 mil, Juventude faz grande temporada esse ano


Por: Jonata, jornalista, radialista e repórter na @rdgrenal.

Longe da elite do futebol nacional desde 2007, o Juventude está perto de conseguir o acesso à série B do Campeonato Brasileiro. Mas para chegar até esta decisão pela terceira divisão, o Papo precisou readaptar as suas dificuldades, principalmente econômicas e apostar nas suas categorias de base. Angelo Afonso conversou com Roberto Tonietto, presidente do Juventude sobre bom momento do time na temporada.

”Iniciamos neste ano no Juventude um projeto de recuperação econômica do clube. Estávamos com uma dificuldade financeira muito grande e ainda estamos. Mas o grande objetivo para 2016 é a reestruturação do clube e o equilíbrio financeiro. Formamos um time com orçamento reduzido no início do ano, usando bastante base. Estávamos com um grupo de 30 atletas, sendo 18 da base e felizmente começou dar resultado em campo”.

Com uma folha salarial bastante baixa se comparada aos times que enfrenta na Copa do Brasil, o Juventude confia nas suas categorias de base para se reafirmar na elite nacional.

 

”Estamos com a folha de 270 mil reais. Fizemos um time competitivo com os recursos que a gente tinha (…)  A base será o grande diferencial do Juventude nos próximos anos para voltar ao cenário nacional”, comentou Tonietto.

Ouça a entrevista completa:

Comentários