Matheus Henrique e Jean Pyerre destacam momento tenso do Grêmio e foco contra o Rosário: “Vai ser uma guerra”


Por: Diogo Rossi, comunicador na @rdgrenal
*Por Bárbara Assmann

 

Em coletiva de imprensa, nesta segunda-feira (8), os jogadores gremistas Jean Pyerre e Matheus Henrique comentaram o momento que o time enfrenta e os próximos desafios. Mesmo com o GreNal da final do gauchão chegando, eles destacaram a importância do jogo contra o Rosário na quarta-feira (10). A partida da Libertadores será decisiva para o tricolor “é vencer ou vencer”, destacou Matheus Henrique. Isso porque, em nove pontos disputados, o time gaúcho somou apenas um. “Temos que entrar focados os 90 minutos, não perder a concentração”, afirmou o meia Jean Pyerre, que possui a confiança do técnico Renato, conforme o comandante da equipe já afirmou diversas vezes.

Jean também é considerado uma promessa, assim como Matheus Henrique. Eles comentaram como lidam com isso e a tranquilidade que Renato Portaluppi passa para eles. “Ele (Renato) me ajuda bastante, me diz ‘chuta, arrisca no gol’, isso é importante porque me dá confiança”, destacou Jean Pyerre.

Matheus Henrique que tem sido constantemente comparado à Arthur, diz que é boa a semelhança, mas defende que que ser reconhecido por suas diferenças. “Vou fazer meu trabalho para ser reconhecido como Matheus Henrique, não como Arthur”, salientou.

Com a sequência pesada de jogos, os dois terão que seguir confiantes para conseguir a titularidade. Com o tratamento que Renato costuma dar ao grupo como um todo, eles sabem que, no momento certo, ela virá. “O Renato não treina 11 jogadores, treina um grupo, que é para a sequência de jogos como essa que vamos ter agora”, comenta Matheus Henrique.

No mês, o time tende a mudar, pois serão muitos jogos em competições diferentes. Mesmo assim, o pensamento do grupo está na próxima quarta (8). A dupla diz que o foco será total nos 90 minutos de jogo. Eles destacam a importância da torcida e reforçam que agressividade, toque de bola e a vitória são o que interessa. “Vai ser uma guerra. Time argentino é chato, vem para brigar, vem para competir”, comenta Matheus Henrique dizendo que o momento é tenso. “Mas como o Renato falou, temos que acreditar. Tudo depende da gente.”

 

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Comentários

>