Johnny fala sobre experiência na seleção norte-americana: “Vou voltar ainda melhor”

Meia de 19 anos nasceu em Nova Jersey, nos Estados Unidos

Foto: Ricardo Duarte / S.C. Internacional

O meia colorado Johnny estreou oficialmente na Seleção dos Estados Unidos na última quinta-feira (12). Direto da concentração estadunidense, o atleta de 19 anos, nascido em Nova Jersey-EUA, concedeu entrevista coletiva para falar sobre o momento da sua carreira, já que foi convocado pela primeira vez para a seleção principal americana.

Está sendo muito especial para mim. É uma oportunidade única. A realização de um sonho. Eu, sinceramente, não esperava que fosse tão rápido. Estou sempre dando o meu máximo nos treinamentos e aproveitando para dividir isso com os jogadores jovens e renomados da Europa, como o Sergiño Dest, do Barcelona. Com isso, eu ganho experiência […] Eu tenho que aproveitar para acrescentar tudo de positivo. Tiro um pouco de cada jogador, de cada escola do futebol da Europa que eles vêm. Eu saio daqui com um aprendizado muito grande, tanto pessoal quanto profissional. Com certeza, vou voltar ainda melhor”, contou.

O jogador contou a sua história e explicou o motivo que o leva a defender as cores dos Estados Unidos: “Tudo começou com a vinda dos meus pais. Mas eu nasci na época do atentado do 11 de setembro logo minha família voltou para para o Brasil. Sempre tive um gostinho americano e a vontade de voltar. Sobre defender Brasil ou EUA, temos que escolher quando temos mais de uma opção. No momento, só os Estados Unidos me convocaram, então, a minha cabeça está toda com a seleção estadunidense“.

Questionado sobre seu trabalho no Inter e o momento que o time vive, o jogador valorizou a chegada do novo técnico e se mostrou confiante no grupo: “Os treinos têm muito em comum com o que eu fazia no Inter. Tenho acompanhado direto as mudanças que estão acontecendo no clube. Ano passado, quando fui convocado para o sub-23, ocorreu a mesma coisa. No momento, a gente vem brigando em três competições. São torneios difíceis. A gente valoriza o trabalho do Coudet e a importância que ele teve, mas foi uma opção dele. O Abel vem com uma responsabilidade grande. Mas ele é muito vitorioso e vai agregar muita experiência“, disse.

A seleção norte-americana ainda tem mais um amistoso na tarde desta segunda-feira (16), contra o Panamá, às 16h45. Após os compromissos, o meia retorna a Porto Alegre se junta à equipe colorada.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Inter quer contar com Thiago Galhardo para a partida de quarta-feira contra o América-MG
Rodrigo Dourado faz primeiro jogo como titular após lesão
Deixe seu comentário