Inter vive dilema com estrangeiros dentro do clube

Peruano briga por uma vaga na relação para a partida

Foto: Ricardo Duarte / S.C. Internacional

Ter estrangeiros dentro do clube sempre foi uma característica muito forte do Inter. Desde Benitez e Figueroa nos anos 70, Ruben Paz e Diego Aguirre nos anos 80, até D’Alessandro, Guinãzu, Aranguiz, Forlán, entre outros no século 21. Sempre foi uma atividade bastante comum dentro do Beira-Rio. Porém nessa temporada, o colorado viverá dilemas constantes com os gringos dentro do grupo. 

De acordo com o regulamento da CBF, cada clube pode relacionar apenas cinco jogadores de fora do Brasil para as partidas do Brasileirão. O Inter, por outro lado, conta com sete estrangeiros dentro do grupo: Victor Cuesta, Renzo Saravia, Paolo Guerrero, Carlos Palácios, Bruno Mendez, Gabriel Mercado e Juan Manuel Cuesta. Acima do limite, o colorado sempre terá de deixar pelos dois jogadores de fora da lista dos relacionados. 

Até o início da competição, isso não era um grande problema. Dos sete jogadores, apenas quatro estavam no time: Saravia, Cuesta e Guerrero, que já eram figuras antigas, e Carlos Palácios, que foi contratado durante o Gauchão. Porém, com problemas defensivos, a diretoria teve de ir atrás de reforços para a zaga, trazendo Bruno Mendez e Gabriel Mercado, e ainda contou com à ascensão de Juan Cuesta nas categorias de base. Contabilizando sete atletas.

Atualmente, o colombiano de 19 anos se recupera de uma entorse no tornozelo, e está fora da partida. Saravia, Bruno Mendez e Victor Cuesta são considerados titulares do time do técnico Diego Aguirre. Logo, Gabriel Mercado, Carlos Palácios e Paolo Guerrero brigam por duas vagas na relação para a partida. 

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Em apresentação, Villasanti promete empenho para tirar Grêmio da zona do rebaixamento: “Não merece estar”
CBF adia jogos da Copa do Brasil por conta de Data Fifa
Deixe seu comentário