Inter presta esclarecimento sobre a utilização de empresa que é investigada na gestão Piffero


Por: Valéria Possamai,

Após a divulgação de que a empresa utilizada pela atuação gestão do Inter para agenciar viagens estava sendo investigada por “estilionato”, durante a gestão de Vitorio Piffero, o clube se manisfestou oficialmente sobre o relacionamento com a empresa Piratini.

Conforme a nota divulgada pela assessoria do clube, todo o repasse de pagamentos  seguem os processos de fiscalização e transparência que norteiam a gestão. Uma nova prestadora de serviço em substituição a Piratini deve começar a atuar a partir de julho deste.

Confira a nota abaixo

“Esclarecimentos sobre agencias de viagens

O Sport Club Internacional, em face de matéria jornalística veiculada hoje, informa que a Agência de Viagem Piratini presta serviços na área de logística ao Clube. Todos os pagamentos realizados seguem os processos de fiscalização e transparência que norteiam a gestão.

O Clube, sob orientação do Conselho de Gestão, iniciou em janeiro do corrente ano processo de cotação e seleção de uma nova empresa para atender essa demanda. Após reuniões envolvendo os respectivos setores, foi definida a nova prestadora de serviços. O novo contrato está em processo de revisão e aprovações internas, sendo respeitados todos os procedimentos internos de contratação do Clube.

A substituição da empresa prestadora dos serviços de logística não pode sofrer solução de continuidade abrupta, em face da complexidade dos deslocamentos contratados e da grande demanda interna. As reservas em redes hoteleiras e empresa aéreas são feitas com grande antecedência, por exemplo.

Ao contrário do que afirma a reportagem, houve uma redução do leque de serviços prestados pela Agência Piratini ao longo do ano que passou e deste ainda em curso, sendo o Clube já atendido em diversas demandas por outra empresa do ramo.

A previsão é que a nova prestadora de serviços que vai substituir a Piratini inicie sua relação comercial com o Clube em julho de 2019.

Ressaltamos que todos os atos da atual gestão do Sport Club Internacional (Diretoria e Conselho de Gestão) são praticados dentro dos princípios de impessoalidade, moralidade, transparência e lisura, sob exame do Conselho Fiscal e do Conselho Deliberativo.”

De acordo com as investigações do Ministério Público do RS, a agência de viagens que já tinha relação comercial com os empreendimentos do vice-presidente à época, Pedro Affatato, passou a prestar serviços para o clube a partir de maio de 2015. Mesmo sem contrato formal, a empresa passou a intermediar a compra de passagens e de serviços de hospedagem, quando recebeu mais de R$ 1,9 milhão até o final da gestão.

De acordo com a apuração do MP, a Piratini repassou R$ 169 mil para Pedro Affatato. A empresa também foi um dos 20 alvos da Operação Rebote, que, em dezembro passado, cumpriu mandados de busca e apreensão em investigação que apura a ocorrência dos crimes de apropriação indébita, estelionato, organização criminosa, falsidade documental e lavagem de dinheiro em investigação do MP.

Vale lembrar que, além do presidente Piffero e do vice Affatato, a operação investiga outros dirigentes que faziam parte da gestão: Alexandre Silveira Limeira, que era vice-presidente de Administração, Emídio Marques Ferreira, vice-presidente de Patrimônio, Marcelo Domingues de Freitas e Castro, vice-presidente Jurídico, e Carlos Capparelli Pellegrini, que atuava como vice-presidente de Futebol também fazem parte da lista de investigados. Também são apuradas as condutas de empresários de futebol, além de pessoas vinculadas a empresas de construção civil, de turismo e de contabilidade.

Foto:(Divulgação/S.C.Internacional)

 

Comentários

>