Grêmio vê venda de jogadores como ‘inevitável’ e prioriza saúde financeira do clube

Venda de um ou até dois jogadores pode ser realizada para garantir o equilíbrio financeiro

Foto: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Em meio aos efeitos da crise da Covid-19, o Grêmio já demonstra que a negociação de jogadores do elenco para equilibrar o caixa é algo inerente. Mesmo que não haja uma definição sobre a janela de transferências, o clube já se mostra aberto para analisar situações de negócio, que anteriormente tinha status de “impossível”.

Dentro das avaliações que estão sendo realizadas pelo conselho de gestão, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr., afirmou que a prioridade é pela manutenção da saúde financeira do clube.

“Vender jogadores é quase inevitável para conseguir suportar esse problema. Não para agora, quando as janelas abrirem. Para o conselho de administração está claro, se tivermos que fazer uma opção de sobrevivência do clube e perspectivas boas para o futuro e tivermos que abrir mão de alguma coisa de competição, não tenha dúvidas. Será privilegiado a saúde financeira do clube”, declarou Bolzan em entrevista ao programa Virando o Jogo, da RDCTV.

Momentaneamente, o mandatário garante que não há propostas oficiais para serem avaliadas. O atacante Everton é um dos nomes que sempre é alvo de sondagens, mas os jovens também tem despertando interesses do mercado europeu como Pepê, Matheus Henrique e Jean Pyerre, além de Alisson, que também é alvo de consultas.”O Grêmio vai priorizar as garantias de seus contratos, de equilíbrio financeiro. Se para isso for preciso vender um ou talvez dois jogadores, a prioridade é pela manutenção da estruturação financeira que o clube tem”, completou o presidente do tricolor.

O Grêmio já prevê um aumento superior ao previsto com relação à queda de receitas. Atualmente, o prejuízo estimado está na casa dos R$ 40 milhões.

Clube monitora situação do futebol feminino

Entre as questões que estão avaliadas pelo clube, está a situação do futebol feminino do clube. O presidente Romildo citou a questão do estádio Vieirão, em Gravataí, que está alugado especialmente para a equipe feminina do clube. Assim como as demais competições, o futebol feminino também está suspenso.

“Futebol feminino talvez não sei se continua. Temos um estádio alugado somente para o futebol feminino. Todas essas situação estão expostas e temos que administrar. O futebol feminino veio para ficar. Por uma questão de segurança pode não ser realizada neste ano”, afirmou o mandatário gremista.

 

 

 

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Inter apresenta balanço de 2019 e aguarda aprovação das contas
Há um ano, Paulo Victor conquistava o bicampeonato Gaúcho com o Grêmio: “Foi uma noite e um momento muito especial”
Deixe seu comentário