Grêmio solta do grito de Pentacampeão da Copa do Brasil


Por: Kalleb França, jornalista, radialista e repórter na @rdgrenal

Depois de 15 anos sem títulos importantes, o jejum tricolor acabou. O Grêmio bateu o galo em um jogo de 180 minutos. Nos primeiros 90, uma vitória sem precedentes em um Mineirão completamente lotado, o placar de 3×1 praticamente liquidou a fatura em favor do tricolor.

O título veio com um empate por 1×1 em gols de Bolaños para o Grêmio e Cazares  para o Galo. O empate sacramentou o primeiro título da era Arena. Comandado por Renato Gaúcho o time gremista segurou o galo, soube atacar no momento certo e fez a festa na sua casa. Levantou a taça e o torcedor gremista espalhado por todo o Rio Grande do Sul, soltou o grito de campeão.

Primeiro Tempo

A final começou em silêncio. Mais de  55.337 vozes caladas. Apenas o sussurro de choro por parte dos jogadores, imprensa e trio de arbitragem que se abraçavam no centro do gramado respeitando o minuto de silêncio.

Com a bola rolando, o Galo chegou primeiro em uma cabeçada de Júnior Urso, em cobrança de falta de Robinho, o volante subiu entre os dois zagueiros gremistas e conseguiu cabecear, porém a bola foi um pouco alta e saiu por cima. Com a marcação adiantada e Luan, que começou a partida no lugar de Maiconsuel, o time mineiro começou a pressionar muito. A equipe tricolor ia se livrando da bola como podia.

Aos 15′ Douglas encontrou Luan completamente livre e o jogador tricolor teve a chance e abrir  o placar, mas Luan chutou em cima de Erazo e a bola saiu pela linha de lado. Cinco minutos depois o tricolor entrou no jogo em um contra ataque puxado por Douglas, a bola chegou em Luan que foi derrubado por Lucas Pratto. O atacante argentino recebeu cartão amarelo. Na cobrança da falta, Douglas quase abriu o placar, mas a bola passou por cima do travessão assustando o goleiro Victor.

A Galo chegou forte mais uma vez, com um chute de Luan, a bola saiu pelo lado. Depois, aos 28′ uma jogada  rápida em que Rafael Carioca recebeu um passe livre no meio, porém optou por fazer o corta-luz e o seu companheiro Júnior Urso não entendeu e a bola ficou dominada por Walace, volante do Grêmio. Em uma escapada rápida pelo lado esquerdo de ataque, Éverton recebeu e avançou em velocidade cortou o zagueiro e chutou forte, o goleiro Victor bem colocado defendeu.

Douglas apareceu aos 40′ de forma mágica. Marcado, ele deu um passe de calcanhar e deixou Éverton livre na frente do goleiro Victor, que cresceu na frente do atacante e fez uma defesa importante em um chute forte do atacante gremista. O primeiro tempo se encaminhou para o final com o placar zerado.

 

Segundo tempo

A segunda etapa começou com o Galo diferente. O meia atacante Maicosuel entrou no lugar de Júnior Urso. O técnico Interino Diogo Gioacomini abriu o time na tentativa de buscar o título. Com isso o Grêmio começou a tomar conta da partida. Exercendo pressão e se aproximando do gol. Mesmo chegando com velocidade o time gaúcho não abria o placar.

Uma escapada de Ramiro pelo lado direito, aos 17′ deu ao Grêmio mais uma chance, o volante cruzou para trás e encontrou Luan, que dominou e chutou buscando o ângulo do goleiro Victor, mas com muita força a bola saiu por cima. A torcida já começava a festa, embora contida, um misto de gritos de “é campeão”, com cantos de incentivo se ouvia na Arena. O sentimento, era de que o título realmente viria após quinze anos sem uma conquista a nível nacional.

O Galo ia tentando. aos 20′ Robinho arriscou um chute de muito longe, mas fraco e sem direção. Aos poucos, o desespero por parte dos mineiros, ia deixando o jogo do jeito que o Grêmio queria, ou seja, colocando o tricolor muito perto do título.  Com paciência, os jogadores iam tentando achar um espaço para marcar o gol para concretizar o título. Na desesperada busca pelo tudo ou nada, Giacomini tirou Leandro Donizete e colocou Cazares em campo.

Faltando 20′ para terminar o jogo e para o Grêmio ser campeão, o time gremista tomou conta da partida. Passou a trocar passes em busca de espaço para fazer o seu gol. Sem muitas chances efetivas de gol a partida foi se encaminhando para o final. Aos 33′ em uma jogada rápida encontrou Ramiro livre pelo lado direito, o meia fez o gol, porém estava impedido.

Aos 43′ uma jogada pelo lado direito, a bola chegou do outro lado onde estava Miller Bolaños, completamente livre. O equatoriano  marcou seu nome na história com a perna esquerda, um chute forte para dentro do gol de Victor. Em seguida, em uma jogada consciente, Cazares, de perna direita, antes da linha do meio de campo fez um gol antológico, mas de nada adiantou. Depois de muita confusão, o árbitro apontou o centro e a Arena explodiu em alegria. O Grêmio se tornou o único pentacampeão da Copa do Brasil.

Comentários