Grêmio empata com Flamengo na primeira partida da semifinal da Libertadores


Por: Diogo Rossi, comunicador na @rdgrenal

*Por Bárbara Assmann

Começou! A disputa por uma vaga na final da Libertadores teve início para o Grêmio, em partida contra o Flamengo, nesta quarta-feira (02), na Arena, em Porto Alegre. Tenso. Esta palavra resume toda a partida que terminou empatada em 1 a 1.

Durante todo o primeiro tempo, o time Carioca teve o domínio da partida e, na segunda etapa, quando o Tricolor melhorou, o time carioca fez um gol e ainda, ao todo, teve três anulados. Mas o Grêmio é copeiro e conseguiu o empate no final da partida, com Pepê que saiu do banco de reservas para marcar.

O time Carioca começou atacando e, logo nos primeiros segundos da partida já conseguiu uma falta. Era possível sentir que o jogo estava tenso, acirrado e muito disputado. Porém, era o Flamengo que ficava com a bola e não deixava o Grêmio pressionar. 

Com isso, a primeira tentativa clara de gol foi do time Carioca. Aos sete minutos, Gabigol fez linda tabela com Arrascaeta, que devolveu de letra na área, mas Matheus Henrique travou o chute e salvou o Grêmio. Depois foi a vez de Bruno Henrique tentar: o atacante chutou de fora da área e a bola passou perto do gol. 

Mas a casa é do Tricolor, e, depois do susto, foi a vez do Grêmio tentar. Alisson também tentou da entrada da área, mas a bola foi por cima do gol de Diego Alves. O Tricolor não conseguia manter a posse de bola e tentava jogadas diretas. Aos 12, o Flamengo estava com 74% da posse de bola. 

O VAR logo apareceu, aos 20, em um lance polêmico do gol do Flamengo. O rubro-negro marcou com Everton Ribeiro na sobra, mas o árbitro foi para o vídeo e viu falta de Gabigol, fora do lance, em Kannemann. Depois, mais um gol anulado do time carioca: Gabigol fez, mas estava impedido. Destaque para a falha de Paulo Victor.

Mesmo com os sustos, o Grêmio não conseguia sair do campo de defesa. Parece que a noite era do VAR. Aos 39, mais uma vez o árbitro utilizou a tecnologia para saber se daria cartão vermelho direto para Michel, mas, ao analisar, viu que era só lance para amarelo. 

A segunda etapa não teve modificações, mas o verdadeiro Grêmio voltou ao campo. O Tricolor melhorou, buscava mais o jogo e conseguiu emparelhar. As tentativas aconteciam, com maior intensidade, mas sem levar perigo ao gol adversário. 

A partir dos 18 minutos o time colocou pressão no Flamengo. Primeiro, Luan deixou Everton de cara com o goleiro e Cebolinha chutou e Diego Alves fez um milagre. Depois, mais uma grande tentativa perdida pelo Tricolor. Matheus Henrique chutou de fora da área e Diego Alves espalmou mais uma.

Porém o Flamengo, que Renato classificou como uma seleção, mostrou isso aos 23. Arrascaeta cruzou da direita, Bruno Henrique subiu nas costas de Galhardo e colocou o Flamengo na frente: 1 a 0!

Depois disso, Renato começou com suas trocas. Tirou Tardelli para colocar André. Aos 34, o Flamengo teve mais um gol anulado de Gabigol. E Renato continuou com as trocas: tirou Alisson e Michel para colocar Pepê e Maicon.

O rubro-negro, não satisfeito com um gol só, continuou atacando e levando perigo. Mas lembra, torcedor? O Grêmio é copeiro! Aos 42, Pepê veio do banco de reservas para marcar e empatar a partida. 

E acabou assim, o Tricolor conseguiu o empate no final da partida em um jogo muito disputado. Com isso, o Grêmio está ainda mais vivo na Libertadores. Para se classificar o Tricolor precisa vencer ou empatar a partir de dois gols.

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

 

*Estagiária sob supervisão de Marjana Vargas

Comentários

>