Diego souza projeta partida contra o Flamengo desta quarta-feira e relembra 5 a 0: “Se dói para os meus companheiros, dói para mim também”

Foto: Divulgação/ Grêmio FBPA

O empate contra o Corinthians e o pênalti perdido já ficaram para trás. Agora, Grêmio e Diego Souza focam apenas nas próximas duas partidas fora de casa pelo Campeonato Brasileiro. Primeiro, contra o Flamengo, na quarta-feira (19), no Maracanã. Depois, contra o Vasco, no domingo (23), no São Januário. Em entrevista coletiva, o camisa 29 gremista destacou o que precisa ser feito para conquistar os seis pontos longe de Porto Alegre: “São dois jogos extremamente difíceis. O Grêmio tem que fazer o que fez nas últimas partidas. Jogar com a intensidade que jogou, concluir melhor as oportunidades e ser o Grêmio que costuma ser. Se isso acontecer, tenho certeza que conseguiremos bons resultados”.

Dos seis pênaltis cobrados neste ano pelo tricolor, quatro foram desperdiçados. No entanto, o pênalti perdido contra o Corinthians no sábado (15), segundo Diego Souza, não o deixa pressionado. O centroavante considerou o acontecimento como um momento infeliz, mas destacou que sua equipe merecia a vitória: “Não me sinto pressionado. É a minha profissão. Vou bater outros pênaltis na carreira. Sempre foi uma característica minha. O que eu fico chateado é que jogamos muito bem, criamos muitas oportunidades, e merecíamos a vitória, mas nem sempre no futebol quem merece, consegue“.

Questionado se existe rivalidade contra o Flamengo, devido aos 5 a 0 na semifinal da Libertadores do ano passado, Diego Souza negou. Considerou o Mengão um adversário como qualquer outro.”É um jogo como qualquer outro, vale os mesmos 3 pontos. Mas são equipes que vão estar brigando pela competição, é preciso buscar vantagem. Vamos para buscar os pontos que precisamos. Fora isso, não tem rivalidade alguma“, disse o centroavante. Diego não estava em campo no fatídico dia 23 de outubro de 2019, mas deixou bem claro que se existe alguma mágoa, ele toma para si também: “Claro que é jogo contra um rival que obteve vantagem em uma decisão ano passado. Eu não estava, mas se é um fardo que meus companheiros carregam, eu carrego também, se dói para os meus companheiros, dói para mim também”. 

Por fim, Diego comentou sobre o início desequilibrado do Flamengo neste início de Campeonato Brasileiro: em três rodadas, foram duas derrotas e uma vitória sob o comando do novo técnico Domènec Torrent. “Não tenho acompanhado as mudanças no Flamengo com o novo treinador. Eles começaram de uma maneira inesperada. Mas o Campeonato Brasileiro é muito difícil. A gente sabe disso. O que o Grêmio deve fazer é jogar como o Grêmio“, finalizou Diego. 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Grêmio se prepara pra maratona de jogos fora de casa
Orejuela fala sobre a titularidade e a partida contra o Flamengo, no Maracanã
Deixe seu comentário