Como joga o Palmeiras, próximo adversário do Grêmio na Copa do Brasil

Foto: Divulgação / Palmeiras

Após empatar em 1 a 1 com o América-MG no jogo da ida, o Palmeiras venceu a equipe do técnico Lisca na última quarta-feira (30) e se classificou para a final da Copa do Brasil. E se o Grêmio quiser levantar a sexta taça da competição, terá que passar pela sólida equipe comandada pelo português Abel Ferreira.

Ainda que os jogos estejam marcados para 3 e 10 de fevereiro, daqui um pouco mais de 1 mês, muita coisa pode mudar em ambas equipes. No entanto, atualmente as duas equipes marcam um dos melhores elencos do futebol nacional.

Pelo lado do Palmeiras, o que se sobressai é qualidade financeira. É o elenco mais caro, com investimentos altos em grandes jogadores. A Crefisa, principal patrocinadora do clube, injetou dinheiro e aumentou o planejamento financeiro do clube no ano passado, mas a conquista de títulos ficou a desejar.

Em 2020, com Vanderlei Luxemburgo ainda no comando, a equipe conquistou o Paulistão em cima do maior rival, Corinthians. No entanto, as atuações não convenceram a torcida e a diretoria, que pouco tempo depois mandou Luxemburgo para fora da casamata. Para o seu lugar, quem chegou foi o português Abel Ferreira.

Com o Abel, o aproveitamento aumentou e a equipe se manteve viva nas três competições em disputa. Na Libertadores, enfrenta o River Plate pela semifinal e na Copa do Brasil, o Grêmio, no jogo que decidirá o título. No Brasileiro é o 6 colocado, a 12 pontos do líder São Paulo.

MANEIRA DE JOGAR

Com a utilização de um 4-2-3-1, Abel Ferreira gosta de propor o jogo, precisando do apoio dos laterais para que deem amplitude, cobrindo a troca de passes por dentro. Aposta na marcação alta e agressiva quando não tem o controle da bola.

O técnico português se viu obrigado a rodar muito elenco desde que chegou à equipe palmeirense. Os motivos se somam, desde lesões, convocações para as eliminatórias, como o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez, até o surto de COVID, que atingiu a equipe em novembro.

Outra situação que chama a atenção é o fato de improvisar atletas em posições diferentes. Com ele, o meia Gustavo Scarpa foi transformado em lateral-esquerdo, e o veloz atacante Rony chegou a ser usado como centroavante. Além de recuperar atletas esquecidos pela torcida, como o caso de Raphael Veiga.

Abel Ferreira também conseguiu rapidamente implementar um jogo mais ofensivo. A prova da eficácia do novo sistema de jogo alviverde são as bolas na rede. Desde que Abel assumiu o comando técnico, o Verdão disputou 13 partidas, sendo nove vitórias, três empates e apenas uma derrota, aproveitamento de 76.9%.

Na Copa do Brasil, vêm enfrentar o Tricolor gaúcho tendo eliminado Bragantino, Ceará e por último, América-MG. 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Capa Nacional e Internacional

Compartilhe esta notícia:

Como o São Paulo, adversário do Grêmio, se tornou a sensação do futebol brasileiro em 2020
Rodrigo Caetano, ex-Inter, chega em Belo Horizonte para assinar com Atlético-MG
Deixe seu comentário