Comemoração de 118 anos: Felipão, Cacalo, Galatto e Osvaldo são eternizados na Calçada da Fama

Os ídolos receberam a honraria de ter seu nome eternizado na Calçada da Fama

Foto: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Na noite desta segunda-feira (13), o Grêmio deu início às suas comemorações do seu aniversário de 118 anos. Em evento no saguão principal da Arena, quatro ídolos foram agraciados tendo seus nomes marcados eternamente na Calçada da Fama do estádio tricolor. O evento recebeu Luiz Felipe Scolari, Cacalo, e o ex-atletas, Galatto e Osvaldo.

Comandado por Shana Müller, a Mestre de Cerimônia cantou o hino gremista, além de canções tradicionalistas do Rio Grande do Sul como “Céu, Sol, Sul, Terra e Cor” e “Querência Amada”. O presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Biedermann, foi o primeiro a falar, seguido de Romildo Bolzan Jr., presidente do Conselho Administrativo. Fernando Lucchese, cardiologista e conselheiro gremista, foi escolhido o orador da noite.

O primeiro agraciado foi Luiz Carlos Pereira Silveira Martins, Cacalo, ex-presidente gremista e vitorioso nos anos 90. Com sua marca registrada eternamente no local gremista, agradeceu a homenagem: “Tive a felicidade de participar junto destes outros três homenageados na história do Grêmio. Essa homenagem realmente emociona e vai a fundo no coração do torcedor gremista”.

Logo após, foi a vez de Luiz Felipe Scolari, Felipão, a eternizar seu nome ainda mais na história tricolor. Multicampeão gremista e atual técnico do clube gaúcho, o ídolo relembrou sua história no Grêmio. “Além de ser gremista desde que nasci, fui abeçoado e tive a oportunidade que todos gostariam de ter, de estar no Grêmio. Eu vivo o Grêmio”. completou.

Galatto foi o terceiro homenageado. O salvador da pátria e responsável por garantir a vitória diante do Náutico na ‘Batalha dos Aflitos’, o ex-goleiro relembrou o momento histórico: “Nós estavámos com quatro expulsos e um pênalti e eu consegui evitar. O dia mais importante como profissional na minha vida”. E falou da realização do sonho em ter vestido a camisa tricolor, seu clube do coração, e agora, ter eternizado seu nome na Calçada da Fama.

O último agraciado, mas não menos importante, foi Osvaldo, camisa 8, volante, um dos responsáveis por fazer o Grêmio campeão do mundo. O ex-jogador comemorou ““Foi um grande orgulho vestir a camisa do Grêmio. Fiz com o coração. Agradeço à torcida do Grêmio, aos conselheiros que escolheram meu nome e aos companheiros que me ajudaram a alcançar essa honra”.

No dia 15 de setembro, o Grêmio completa 118 anos de história.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Grêmio

Compartilhe esta notícia:

Inter vence o Sport fora de casa por 1 a 0 pelo Campeonato Brasileiro
Aguirre reconhece queda de rendimento em vitória no Recife: “Corremos muitos riscos”
Deixe seu comentário