Com futebol em 2° plano, Inter prioriza situação financeira e negociação de jogadores é necessidade “urgente”

Clube estima uma perda de R$ 100 milhões nas receitas previstas para 2020

Foto: (Rádio Grenal)

O período sem competições tem gerado grandes impactos negativos nas contas do Inter.  Com um déficit classificado como “gigante”, a direção precisou reformular o planejamento, e a saúde financeira do clube passa a ser prioridade, deixando o objetivos do futebol como secundários. A venda de atletas também é tratada como necessidade.

Em entrevista à Rádio Grenal, nesta quinta-feira, o executivo de futebol Rodrigo Caetano deixou claro que a situação do clube,que já foi classificada como a pior da história financeiramente, vai se agravando na medida em que ainda a volta do futebol segue apenas como projeção.

“Com esse novo cenário, vamos precisar colocar os objetivos do futebol em segundo plano. Em primeiro, estará a parte financeira, isso para que possamos chegar saudáveis financeiramente no final do ano. O déficit financeiro é gigante, mas vai agravar ainda mais na medida em que demore ainda mais para retomar as competições. Está tudo parado em termos de receita”, declarou Caetano.

Com a queda drástica na arrecadação de receitas, a negociação de jogadores é situação urgente. Contudo, o executivo afirma que ainda não há propostas pelo elenco, em virtude da situação de crise mundial nos clubes: “A venda precisa hoje, não precisa nem esperar mais um dia. É uma necessidade mais que urgente. Atualmente, o euro e dólar está super valorizado em relação ao real. Na hora que fizermos a analise isso vai ser levado em conta. Mas hoje, o mercado está completamente parado.”

Ainda nesta quarta-feira, um acerto como o grupo de jogadores faz com que o clube tenha um alívio financeiro neste período. Conforme a MP 936, houve uma redução de 25% nos vencimentos dos atletas durante a pandemia do coronavírus.

“Essa iniciativa dos atletas já havia ocorrido antes. Quando tomamos a medida de reduzir o quadro de colaboradores, algo triste, os jogadores nos procuraram. Ontem, oficializamos isso para atender outras necessidades. A redução salarial dos atletas viabiliza que possamos não desligar novos funcionários e não suspender contratos. Nos permite ter menos dificuldade pra passar por esse período difícil”, apontou o executivo de futebol.

O Inter estima uma perda de R$ 100 milhões nas receitas previstas para 2020 devido à paralisação do futebol e toma uma série de medidas para cortar gastos. A meta do clube é reduzir o orçamento em 30% – o que representa mais de R$ 110 milhões. Na última semana, o clube anunciou mais de 40 demissões de funcionários, com um alívio de R$ 300 mil mensais aos cofres.

Situação de Rodrigo Dourado

Atual vínculo do volante vai até o final deste ano. Foto: (Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

Ainda em processo de recuperação, Rodrigo Dourado segue como aposta do clube. A renovação do volante, conforme já trouxe a Rádio Grenal, está praticamente certa, a partir do interesse das partes.

“Rodrigo Dourado vai renovar o contrato dele. Não há dúvida. A prioridade é pela recuperação dele. É um jogador identificado com o Inter. O clube reconhece o que ele já fez. Seria uma surpresa muito grande se isso não aconhecesse”, afirmou o dirigente.

Próximo de completar um ano sem atuar, não há mais detalhes clínicos sobre a situação do jogador, que sofreu uma lesão grave no esquerdo. O então capitão colorado teve sua última partida no dia 10 de julho, na partida contra o Palmeiras, ainda pela Copa do Brasil de 2019. Em processo final de fisioterapia, Rodrigo Caetano explicou que o jogador pode voltar aos trabalhos com bola no final do mês.

 

 

 

 

 

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Inter divulga comunicado sobre redução salarial de jogadores
Confira as mudanças na rotina do estádio Beira-Rio no período sem jogos
Deixe seu comentário