Arena esclarece situação do gramado após críticas na Copa América


Por: Valéria Possamai,

O gramado da Arena voltou a ser pauta na Copa América. O campo foi alvo de críticas parte do craque da Argentina, Lionel Messi, após a vitória sobre o Catar, em partida que ocorreu neste domingo, em Porto Alegre. Recentemente, Suárez, do Uruguai, criticou as más condições. A assessoria do estádio enviou nota à reportagem da Rádio Grenal sobre o episódio.

De acordo com o comunicado da Arena Porto-alegrense, dois fatores são responsáveis pelas as más condições do campo: o fator tempo, por conta da grama de inverno, e a sequência de jogos. Confira a nota abaixo.

“A Arena do Grêmio esclarece que as condições do gramado dependem de algumas variáveis. A combinação de duas delas em particular tem retardado a recuperação plena do mesmo:

A primeira e mais importante é relacionado ao clima. A Ryegrass (grama utilizada no inverno) se desenvolve melhor em temperaturas mais baixas, o que não está ocorrendo em Porto Alegre neste período. Aliada ao sombreamento do inverno (metade do campo), as temperaturas estão mais elevadas, retardando o desenvolvimento da mesma e a sua recuperação pós atividades.

A segunda refere-se justamente à frequência do uso do gramado: Pelas características da competição, durante o período de 14 a 23 de junho o gramado foi utilizado em 7 ocasiões (três partidas, um treino de reconhecimento e três treinos de aquecimento no pré-jogo). Os treinos exigem muito do gramado e o afetam de forma heterogênea, apresentando mais desgastes em algumas áreas do campo, dependendo das atividades realizadas.

Estas duas variáveis em concomitância tem contribuído para uma recuperação mais lenta do nosso gramado. Estaremos empenhados e realizando os manejos adequados para alcançar as condições necessárias para a pratica do melhor futebol em nossa arena.”

O gramado da Arena também já foi alvo de críticas do próprio técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, na temporada passada. No início do dezembro, após o fim do Brasileirão, houve a retirada da antiga grama, para o plantio de novas leivas. Além disso, o gramado passou por uma reconstrução de drenagem, para que não haja mais a incidência de formação de poças d’água ou acúmulo de areia, episódios que ocorreram em 2018.

 

Comentários

>