Abel Braga é apresentado e projeta: ”Espero poder ajudar da melhor forma possível e dar continuidade a esse trabalho que vem sendo bem feito”

Abel é apresentado no Inter.

Foto: Ricardo Duarte / S.C. Internacional

Em entrevista coletiva, na tarde dessa terça-feira (10), o novo técnico do Inter, Abel Braga, foi apresentando oficialmente ao clube. Somando sua sétima passagem pelo colorado, Abel chega ao Beira-Rio em um momento positivo da equipe, mas negativo internamente.

O técnico Eduardo Coudet deixou o comando do Inter com a equipe em primeiro lugar no Campeonato Brasileiro e classificado para as próximas fases das duas outras competições em disputa, a Copa do Brasil e a Libertadores. Abel de imediato reconheceu o bom trabalho de seu antecessor e elogiou o grupo. “O trabalho foi muito bom, não está dentro da minha competência fazer qualquer tipo de julgamento à saída, se foi conturbada ou não. Eu não vou ousar a mudar aquilo que vem dando certo.”, disse.

Destacando a boa relação com o torcedor colorado, pelos anos anteriores em que comandou o time, o treinador evitou elencar uma prioridade para a temporada, mesmo com o calendário apertado, especialmente após a pandemia do coronavírus.

”E aí se eu puder ganhar tudo, já pensou? Já tenho a relação muito forte com o torcedor. O que eu consegui ganhar, o que vier para nós será muito bom. Está na hora. Este clube é muito, muito grande. Tivemos alguns problemas de contusão. Foram três de cruzado. É muita coisa. Um calendário apertado. Não quero conflito. É um número legal de jogadores. Não priorizamos nada. O Inter não ganha há muito tempo Copa do Brasil e Brasileirão. E ganhou em 2006 e 2010 a Libertadores”, afirmou o treinador.

Abel aguarda a publicação do seu nome no Boletim Diário Informativo (BID) para saber se poderá comandar a equipe na partida contra o América-MG, pela Copa do Brasil, mas em relação ao jogo, projetou:

”Conversamos. Fizemos uma reunião. E depois iremos de novo com os analistas falar sobre o América. Ver as virtudes e, como toda a equipe, o que não tem sido bem feito. Mas não se discute trabalho. A qualidade é muito alta. Vou procurar colocar, não falo de aspecto tático, estratégia, porque tem características muito boas. Já encontrei problemas em equipes que não tenham características como essas e usarei bastante. Mas meu linguajar, posicionamento de um ou outro. Não muda nada. Acho que nem a equipe muda”.

Campeão do Mundial de Clubes de 2006, no comando do Inter, Abel valoriza o torcedor colorado, reconhece que sua relação é forte, e acredita que o torcedor vai apoiar a caminhada e a continuidade de um trabalho que já vinha sendo produzido. “É muito importante e desafiador. Aqui há uma cultura bem negativa, nós brasileiros temos várias maneiras negativas, mas voltar para o Inter é especial. Eu estou pegando o Inter numa situação muito atípica, estou pegando uma equipe em primeiro”.

Coudet deixou o cargo sem vencer nenhum dos 6 Grenais que disputou, conhecendo a cultura gaúcha e o que significa a disputa de um clássico, Abel entende que voltar a ganhar é muito importante para manter a tranquilidade dentro do clube: “Não posso mudar o foco pensando no que vai vir lá na frente, eu sei o que representa e o que é um grenal, mas são momentos que passam, momentos sem perder, agora momentos sem ganhar’‘.

Espero poder ajudar da melhor forma possível e dar continuidade a esse trabalho que vem sendo bem feito”, disse.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Inter

Compartilhe esta notícia:

Inter oficializa volta de Abel Braga ao comando técnico
Inter x América-MG: primeiro jogo das quartas de final da Copa do Brasil
Deixe seu comentário