Weverton x Paulo Victor: decisão entre Palmeiras e Grêmio coloca em disputa melhores defesas 


Por: Valéria Possamai,

Os goleiros Weverton, do Palmeiras, e Paulo Victor, do Grêmio, se enfrentam nesta terça-feira pela Libertadores em busca da vaga para as quartas de finalAmbos em um bom momento, é difícil classificar qual dos dois atletas é o melhor do país. Convocado pela seleção brasileira, Weverton é considerado por muitos o goleiro mais preparado do Brasil para representar a seleção, e a média de gols sofridos na temporada, prova que o técnico Tite fez uma excelente escolha. Embora Weverton tenha a ótima média de 0,52 gols sofridos por jogo, ele ainda é superado por Paulo Victor. O goleiro do tricolor gaúcho sofreu o mesmo número de gols, 17 no total, mas tem um jogo a mais que Weverton, que soma 33 partidas.

“Fico feliz por esses números, pois isso é resultado do meu trabalho a dia-a-dia. A sequência é sempre importante para jogadores da nossa posição e isso também resulta em bons números. Vou seguir trabalhando para que o Grêmio não sofra os gols e possamos conquistar mais títulos nessa temporada. Claro, fica meu agradecimento ao trabalho do clube, a preparação que é feita com os goleiros e o apoio de meus colegas. O trabalho do Rogerião, junto com a equipe de goleiros, é de extrema importância para esse desenvolvimento. Sempre aprendemos e dividimos experiências que nos fazem crescer diariamente,” afirma Paulo Victor. 

O jogo desta terça-feira é um desafio pessoal para ambos atletas, que defendem suas marcas também pela Libertadores. Se Paulo Victor é o menos vazado do Brasil no ano, Weverton tem a melhor média de gols sofridos na competição continental. Em 9 atuações, Paulo Victor sofreu 5 gols, média de 0,55 gols sofridos por jogo, e ainda se destaca em alguns fundamentos como defesas difíceis, realizando 10 na competição, passes corretos, totalizando 47, com apenas um errado, e 9 rebatidas. O goleiro do alviverde é melhor em gols sofridos, foram 3 em 9 jogos atuados, além de não ter errado nenhum passe dos 67 na competição, e ter defendido um pênalti diante do Godoy Cruz. 

“Nós goleiros sempre entramos em campo pensando em não sofrer gols, em tentar deixar a meta zerada o máximo de tempo possível, as vezes é complicado, nem sempre se consegue, mas acho que se deve isso é trabalho. A gente trabalha muito aqui, eu tenho do meu lado dois goleiros que eu sei que tenho que trabalhar muito para me manter aqui, para ser titular, que têm condições e fizeram muito pelo Palmeiras e isso dá um nível para o Palmeiras muito grande. Eu me sinto um cara privilegiado de fazer parte disso e feliz por estar ajudando o Palmeiras e tentar manter essa média”, destaca Weverton.

Foto: (Lucas Uebel|Grêmio FBPA)

Comentários

>