“Vai prejudicar a instituição Internacional”, diz Aylon


Por: Diogo Rossi, comunicador na @rdgrenal

Menos de 24 horas após a estreia no Campeonato Gaúcho 2017, o Internacional voltou às atividades no CT do Parque Gigante. O assunto do dia, claro, não poderia ser diferente: a briga entre as torcidas organizadas no Estádio Antônio David Farina. Escolhido para conceder entrevista coletiva de hoje, Aylon não fugiu das perguntas sobre o episódio.

“A briga, infelizmente, aconteceu. Dentro de campo, a gente sente e fica mal pelas famílias que vão no estádio pra assistir futebol prestigiar um jogo, uma partida, e acaba acontecendo aquilo. Acho que deu uns 2 ou 3 minutos jogando, o juiz não parando, e na arquibancada os caras se batendo. Então fica chato. Na hora a gente não consegue se concentrar e é melhor parar o jogo, como o juiz fez. A gente fica mais sentido pelas famílias que vão, olhávamos pra arquibancada e os torcedores todos espremidos, muitas crianças e mulheres. Fica chato”, lamentou o atacante.

Quarta-feira (30), o colorado estreia novamente, dessa vez, pela Primeira Liga, contra o Brasil de Pelotas. Diante da torcida, no Estádio Beira-Rio, os comandados de Zago terão a oportunidade de melhorar o entrosamento, buscando melhorar o desempenho do clube. “É um outro campeonato, mas essa tranquilidade, essa sequência de jogos que a gente precisa pra pegar entrosamento e pra equipe deslanchar de vez, porque a gente tá meio travado ainda, serão importantes. A gente espera que a torcida compareça, como eles estavam nos apoiando no ano passado. Vamos tentar dar o nosso melhor”, afirmou Aylon.

O jovem, quando questionado sobre as torcidas organizadas, ressaltou a importância e força delas nas arquibancadas, entretanto, recriminou as atitudes do jogo contra o Veranópolis. “Além de prejudicar eles, vai prejudicar a gente também, vai prejudicar a instituição Internacional. Como falei, a gente fica com vergonha. É uma questão a ser estudada pela direção, mas infelizmente aconteceu. A gente espera que não aconteça mais”, finalizou.

Confira a entrevista:

 

 

 

Comentários