Presidente Romildo Bolzan Jr. crê em seguridade jurídica para ter julgamento favorável contra o River Plate


Por: Valéria Possamai,

Ao lado de advogados e dirigentes, o presidente do Grêmio Romildo Bolzan veio a público nesta quinta-feira, manifestar os detalhes da solicitação protocolada pelo clube contra às infrações do técnico do River Plate, Marcelo Gallardo. O julgamento da denúncia esta marcado para sábado, às 13h30.

Em sua explanação, o mandatário gremista mostrou confiança e repetiu seguidas vezes que o Grêmio tem “seguridade jurídica” nos fatos apontados na denúncia.

“O que aconteceu foi a infringência do regulamento do Código Disciplinar da Conmebol. O técnico do River estava suspenso e participou da partida, com a conivência, concordância, planejamento, com tudo patrocinado pelo River Plate. O River tinha time para ganhar de nós. E não precisava de utilizar de todo esse aparato para estabelecer essa disputa conosco. Vamos combinar não é mais um ambiente de esperteza ou malandragem, o Grêmio vai combater isso”.

O presidente do clube destacou que a solicitação do clube vai mais além do que placar do jogo, mas a integridade da competição e ao termo de fair play assinado pelos quatro clubes antes da disputa das semifinais.

“O que está em jogo aqui são valores muito mais profundos que o resultado de campo. O que está em jogo é a integridade do futebol, a moralidade do futebol. Não ser esperto, não ser malandro, não meter um boné na cabeça para não ser reconhecido e transgredir. Ninguém precisa ser mais esperto ou malandro para ganhar. O River tinha muito mais time para ganhar de nós, não precisava disso O que está em jogo é a honra do campeonato, da própria Conmebol. Não estamos dando garantia a torcida. Mas acreditamos no que fizemos juridicamente.

Os advogados do clube revelaram que a denuncia apresentada para reverter o resultado da desclassificação da Libertadores possui provas fotográficas e de audio. A solicitação é embasada nos artigos 19, 56 e 76 do Regulamento Disciplinar da Conmebol (veja abaixo).  Além disso, o time também tem a “seu favor”, a declaração do delegado da partida.

Durante a coletiva, o presidente explanou o documento relatado pelo delegado do jogo, que aponta a presença do técnico no vestiário e o impedimento do representantes da Conmbeol para acessarem o vestiário. “O técnico Marcelo Gallardo no intervalo ingressou no vestiário, no qual permaneceu por 15 minutos, porem a seguridade no River não nos permitiu entrar. A porta estava fechada”.

O julgamento da denuncia protocolada pelo Grêmio será analisada por três julgadores no sábado, às 13h30.

Comentários