Presidente Bolsonaro admite negociar a retomada das partidas de futebol no país

Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

Em conversa informal com a imprensa em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro admitiu que trabalha com seus pares para fazer com que o futebol volte à ativa no país. Bolsonaro defendeu a retomada das partidas, com certos cuidados de proteção contra a Covid-19 nos vestiários, por exemplo. “Vocês sabem a minha opinião sobre a volta do futebol. É claro que quero que volte. O Flamengo e o Palmeiras têm uma folha de pagamento de R$ 15 milhões por mês. Há ainda os times da Segunda Divisão”, disse, referindo-se à necessidade que os clubes têm de fazer dinheiro para honrar suas dívidas.

O presidente deixou claro que trabalha nos bastidores para fechar uma data para a retomada das partidas. Bolsonaro esteve no Allianz Parque para ver o Palmeiras e também já foi ao Maracanã, ao lado de Sergio Moro, acompanhar de perto uma partida do Flamengo. As entidades futebolísticas trabalham para retomar as competições na segunda quinzena de maio. Tanto a Confederação Brasileira de Futebol quanto as federações estaduais estão formulando cartilhas para realizar jogos com maior segurança para os atletas e demais pessoas envolvidas. Nesse primeiro momento, a ideia é que o público fique fora, ou seja: jogos serão com portões fechados.

O Ministro da Saúde, Nelson Teich, em sua primeira entrevista sobre o andamento da pandemia no Brasil, confirmou a intenção do Governo de liberar as partidas de futebol imediatamente. Vale lembrar que os jogadores estão de férias até o fim deste mês. Se retomado o futebol, os atletas voltariam ao trabalho em 1º de maio, treinam durante 15 dias e retomam os jogos.

* Por supervisão de: Marjana Vargas

Voltar Todas de Futebol

Compartilhe esta notícia:

Em prisão domiciliar, Ronaldinho Gaúcho garante: “Ficamos surpresos ao saber que os documentos não eram originais”
CBF convoca reunião com presidentes de federações para debater rumo do futebol
Deixe seu comentário