Jurídico do Grêmio prepara estratégias para julgamento de quinta, no STJD


Por: Jonata, jornalista, radialista e repórter na @rdgrenal.

Com a data do julgamento da briga no Grenal já marcada para a próxima quinta-feira (03), o Grêmio já se prepara para mais uma batalha no tribunal. O departamento jurídico do Tricolor já prepara estratégias para tentar diminuir as penas que os seus atletas podem sofrer, principalmente de Edílson. Um dos advogados do Grêmio, o Dr. Gabriel Vieira, conversou com o repórter Matheus D’Avila sobre os próximos passos do clube, agora no pleito jurídico.

”Vamos aparelhados, vamos ao Rio de Janeiro para conseguir um resultado positivo. Em termos de estratégia, nós já mapeamos duas ou três. Evidentemente há uma questão de um revide do jogador do Grêmio,  e posteriormente há também um revide do jogador do Internacional. Então temos certos caminhos para tentar a diminuição de pena” afirmou Vieira.

  • Caso Miller Bolaños/William:

”Isso é muito mais uma questão de vingança de jurídico para jurídico. Acho que não é uma questão institucional de clube. Houve uma lesão grave do jogador do Grêmio, aonde eu entendo que o adversário desdenhou da lesão do jogador. É um lance especifico. No último Grenal não houve nada. Entrar como terceiro interessado é um direito deles. Apenas acho que é um pouco demais, pois parece um revanchismo com relação ao que aconteceu com o Bolaños. Se isso efetivamente acontecer, fica muito claro: é uma questão de vingança de jurídico para jurídico.

  • Expulsão de Renato Portaluppi na Copa do Brasil:

”Enquanto tratamos de justiça desportiva e de pessoas sentenciando, sendo que cada pessoa tem seu entendimento dos fatos, eu não acredito que um processo seja simples. E por mais que tenhamos provas suficientes que o Renato não tenha se dirigido ao árbitro, é possível que os auditores se apeguem ao teor da súmula para conseguir julgar o treinador do Grêmio. Eu vejo que há elementos suficientes para mostrar que ele não se dirigia ao árbitro da partida, mas os auditores podem entender de uma maneira diferente”.

  • Ingresso do clube como terceiro no julgamento de Rodrigo Dourado:

”A nossa ideia não é essa. Como foi no julgamento do Miller aqui no sul oferecendo um tipo de infração.  nunca foi a nossa tônica. E o Grêmio seguiu naquela diretriz porque foi oferecido quatro ou cinco denúncias aos jogadores do Grêmio. Não é ideia do Grêmio fazer isso e queremos um julgamento limpo, legítimo. Mas se for o caso de, sim, notar que houve ingresso como terceiro no processo, o Grêmio pode sim postular ingresso como terceiro contra os jogadores adversários”.

Acompanhe a entrevista:

Comentários