Inter perde para o Athletico-PR e leva a decisão da Copa do Brasil para o Beira-Rio


Por: Diogo Rossi, comunicador na @rdgrenal

*Por Bárbara Assmann

 

Os primeiros 90 minutos passaram e o Inter levou um gol no segundo tempo e perdeu na Arena da Baixada por 1 a 0, nesta quarta-feira (11). Quem marcou para o time do Athletico-PR foi Bruno Guimarães. O time Athleticano teve a posse de bola a seu favor durante toda a partida e a porcentagem sempre era superior. O gol aconteceu após um erro de Edenilson no meio de campo.

Mas calma, torcedor Colorado! Ainda não está tudo perdido. O Inter terá, na próxima quarta-feira (18), toda a torcida a seu favor no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. É possível reverter o placar.

Odair Hellmann repetiu a escalação da equipe que venceu o Cruzeiro por 3 a 0. Nico López foi titular. Já Thiago Nunes praticamente também repetiu seu time que eliminou o Grêmio. A única mudança foi na zaga: Léo Pereira volta após cumprir suspensão.

A equipe paranaense começou a partida tocando muito a bola. Já o Inter estava totalmente recuado, somente Guerrero se encontrava no campo de ataque. A porcentagem da posse de bola marcava, aos seis minutos, 82% para o Athletico e 18% para o colorado.

Com isso, quem chegava com perigo era o Furacão. A zaga do Internacional, sempre precisa, afastava. Já o colorado, no contra-ataque, também chegava por algumas vezes e tentava finalizar. 

O chute adversário mais perigoso aconteceu aos 13. Rony aproveitou a bola sobrada na entrada da área e encheu o pé de direita. A bola passou perto do gol de Lomba.

Para se ter uma melhor ideia, o número, em passes, marcava Athletico com 101 e o Inter com 19. O furacão tomava a iniciativa, mas o jogo estava equilibrado em finalizações.

Aos 19, quem chegou foi o Colorado: após uma tabela dentro da pequena área, Nico bateu colocado, mas Santos faz a defesa. Já aos 23, foi o Athletico que tentou. Léo Cittadini recebeu a bola e chutou colocado, mas foi para fora. Aos 26, o Inter tentou de novo: Uendel chutou forte de fora da área e Santos espalmou para fora. Nenhum dos lances de gol os goleiros tiveram muito trabalho. 

Antes disso, o Internacional reclamou de pênalti e, para o comentarista de arbitragem da Rádio Grenal, Diego Real, a bola realmente pegou na mão, mas o árbitro não chamou o VAR. 

Na segunda etapa, o Athletico tinha a iniciativa, mas o Inter buscava mais o ataque e adiantava a marcação. Aos oito minutos, quase que o gol colorado saiu. Edenílson recebeu a bola, invadiu a área e chutou. A bola desviou e quase enganou Santos.

Aos 11, Thiago Nunes fez a primeira modificação: colocou Thonny Anderson no lugar de Léo Cittadini. Depois disso, o Athletico fez seu gol, após erro de Edenilson no meio de campo. Bruno Guimarães tabelou com Marco Rubén, recebeu na área e acertou o ângulo de Marcelo Lomba. Athletico 1, Internacional 0. 

Quem mexeu em sua equipe depois do acontecimento foi Odair Hellmann. Entrou Wellington Silva no lugar de Nico López. A posse de bola continuava sendo do Furacão. Aos 18, o Athletico tinha 71%.

Thiago Nunes fez mais uma troca, tirou Marco Ruben e colocou Marcelo Cirino. O Colorado reagia, mas não tinha sucesso. Aos 27, uma das melhores chances do Furacão aconteceu: Rony arrancou e chegou na área cara a cara com Lomba, o atacante chutou forte, e o goleiro colorado fez uma grande defesa. 

Odair Hellmann novamente modificou sua equipe. Tirou Edenilson e colocou Nonato. Depois, quem defendeu foi o Santos. Aos 30, a bola sobrou para Lindoso que encheu o pé no gol, mas Wellington deu um toquinho na hora certa, e o goleiro athleticano fez a defesa.

Aos 37, mais uma troca na equipe colorada. Saiu D’Alessandro para a entrada de Sóbis. A equipe de Odair Hellmann continuava atacando e tentando. Aos 44, Guerrero recebeu a bola na área e ajeitou para Sóbis, que encheu o pé. A bola bateu na rede pelo lado de fora.

O Colorado até tentou, mas não deu. A primeira partida da final da Copa do Brasil terminou 1 a 0 para o Athletico. Agora, é tudo no Beira-Rio. O torcedor vai lotar o estádio para apoiar sua equipe para conquistar o bi-campeonato.

(Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional)

 

*Estagiária sob supervisão de Marjana Vargas 

Comentários

>