Equipe da Rádio Grenal é destaque no filme “Gre-Nal da América”

O primeiro jogo entre Grêmio e Internacional na história da disputa da Copa Libertadores da América virou um filme  lançado pela Conmebol nesta quarta-feira, dia 15 de abril, e a RÁDIO GRENAL faz parte desta grande produção.

Com duração de 25 minutos, o “Gre-Nal da América, O Filme” mostra entrevistas com jogadores e torcedores e cenas inéditas do clássico Grenal válido pela Libertadores 2020, realizado no dia 12 de março, na Arena, e a RÁDIO GRENAL foi o único veículo de comunicação do RS convidado a participar do filme.

Thiago Rocha, integrante da equipe de mais de 20 profissionais destacados pela Conmebol para realizar a produção, explica: “Começamos o filme justamente mostrando que o Grenal é tão grande que os gaúchos têm uma rádio que dedica sua programação exclusivamente para falar de dois times do Rio Grande do Sul.”

As filmagens envolveram jogadores, torcedores e os comunicadores da Rádio Grenal, que foram convidados para ajudar a explicar as emoções que envolvem o clássico. Os lances da partida tiveram a voz do maior narrador de Grenais do Estado, Haroldo de Souza. Já Angelo Afonso, Kalwyn Corrêa e Rogério Bohlke falaram sobre o duelo, que “todos querem jogar e que ninguém quer perder”. Angelo confessa: “Esperamos o ano todo para fazer essa cobertura. No caso da Libertadores, passamos décadas esperando esse momento.”

A equipe da Conmebol chegou a Porto Alegre cinco dias antes da partida, para captar os depoimentos de outros personagens que fizeram parte deste clássico inédito.

O produtor Thiago Rocha conta que a ideia surgiu ainda no sorteio dos confrontos entre os times, quando surgiu a possibilidade do Inter entrar no grupo do Grêmio caso passasse pela fase preliminar, como de fato ocorreu: “O Grenal tem esse elemento do ineditismo. Mas não é só isso. É um clássico muito conhecido e reconhecido na América do Sul pela sua grandeza e que reuniu uma série de elementos para que esse registro avançasse: dois times campeões da Libertadores e personagens de peso no cenário sul-americano, como D’Alessandro, Guerrero, Everton, Geromel e Kannemann, entre outros.”

Além do trabalho profissional, Rocha relatou como a experiência foi marcante: “Pela primeira vez, em quarenta anos de vida e cerca de 20 de profissão, eu vivenciei essa rivalidade tão de perto. Como as pessoas têm sentimentos, impressões e medos peculiares com relação ao Grenal.”

 

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário