Grêmio se torna o segundo maior brasileiro semifinalista em edições da Libertadores; relembre as classificações


Por: Valéria Possamai,

Após a classificação na noite desta terça-feira contra o Tucumán, o Grêmio se torna o segundo time brasileiro com maior participação em semifinais, da Copa Libertadores. Pela 9ª, o time gaúcho está entre as quatro melhores equipes do torneio, ficando atrás apenas do São Paulo, que soma dez participações em semifinais.

Atual campeão do torneio continental, o Grêmio novamente chega às fases decisivas da Libertadores. A tradição do tricolor na disputa das semifinais iniciou há 35 anos. A primeira chegada entre os quatro melhores times ocorreu em 1983, ano em que o clube conquistou o primeiro título. No ano seguinte (1984), como o atual campeão, chegou para a disputa já nas semis. Avançou às finais, após passar pelo Flamengo. Na grande final, perdeu a disputa para o Independiente, ficando como vice-campeonato.

Posteriormente, a equipe enfrentou um jejum de 11 anos sem chegar às semis. Voltou a ficar entre os quatro semifinalistas em 1995, ano em que se tornou o Bicampeão da América. Na ocasião, o time comandado por Luiz Felipe Scolari terminou a Fase de Grupos na segunda colocação. Passou por Olímpia nas oitavas, superou o Palmeiras nas quartas e chegou a grande final, após vencer o Emelec.

Na grande decisão, enfrentou o Atlético Nacional. Na primeira partida, disputada no estádio Olímpico Monumental,  o Grêmio garantiu vantagem por 3 a 1. Na partida de volta, conquistou o empate em 1 a 1 com gol de Dinho e sagrou-se campeão no estádio Atanasio Girardot, em Medellín. Naquela campanha, o Grêmio conquistou o título com apenas duas derrotas (ambas para o Palmeiras) em toda a Libertadores.

Em 1996, a equipe gaúcha se fez presente em mais uma semifinal, mas a participação . Depois de passar pelo Corinthians nas quartas, foi eliminado pelo América de Cali. Em 2002, a cena se repetiu. O Grêmio chegava a competição após vencer a Copa do Brasil de 2001. Terminou em primeiro no grupo com Cienciano (Peru), 12 de Octubre (Paraguai) e Oriente Petrolero (Bolívia). Nas oitavas, passou por River Plate, time que voltará a encontrar na edição deste ano. Na primeira partida venceu por 2 a 1 e, na volta goleou por 4 a 0, no estádio Olímpico. Passou pelo Nacional nas quartas e chegou às semis para enfrentar o Olimpia. Na primeira partida, perdeu pelo placar de 3 a 2. No jogo de volta, garantiu o 1 a 0 no tempo normal e levou a decisão nos pênaltis, mas acabou eliminado.

Grêmio foi eliminado nos pênaltis para o Olímpia.(Foto: Divulgação /gremio1983)

No ano de 2007, o tricolor de Porto Alegre carimbava sua sétima participação em semifinais. Naquela edição, terminou a primeira fase como líder do Grupo 3, em grupo com Cúcuta Deportivo (Colômbia), Deportes Tolima (Colômbia) e Cerro Porteño (Paraguai). Passou por São Paulo nas oitavas e nas quartas decidiu a classificação com Defensor Sporting, mesmo time que enfrentou na fase de grupos de 2018.

Na primeira partida, os uruguaios venceram por 2 a 0. Na partida de volta, os tricolores devolveram o mesmo placar no tempo normal e conquistara a vaga às finais, na disputa de pênaltis. Na grande decisão, foi derrotado pelo Boca Júniors, que conquistou a taça.

Em 2009, o Grêmio gravava seu nome entre as quatro melhores equipes, após superar o Caracas nas quartas, depois de vencer o Universidad San Martín, nas oitavas. Mas no duelo contra o Cruzeiro, nas semis, o time do técnico Paulo Autuori, que tinha Marcelo Grohe entre os titulares, acabou eliminado.

Foto: (Divulgação/gremio1983)

Depois de algumas participações amargas, o Grêmio voltaria a viver seu melhor momento em 2017. Depois de encerrar um de 15 anos sem um título de expressão nacional em 2016, com a conquista da Copa do Brasil, o tricolor voltaria a pintar a América outra vez de azul, preto e branco.

Sob o comando de Renato Portaluppi, o time terminou a primeira fase como líder do grupo 8. Nas oitavas, venceu o Godoy Cruz nas duas partidas e avançou às quartas, quando também superou o Botafogo. Na fase semifinal, veio o Barcelona de Guayaquil. Já no primeiro jogo, o tricolor conquistou vantagem: venceu por 3 a 0.

Foto: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Na partida de volta, mesmo com a derrota por 1 a 0, o tricolor garantiu classificação a grande final. E, pela primeira vez, na casa nova, na Arena do Grêmio, o tricolor comemorava a chegada a decisão do título da Libertadores. No duelo decisivo, o Lanús, da Argentina.

O primeiro jogo foi disputado em Porto Alegre. A partida foi por marcada por muitas reclamações da arbitragem, principalmente na aplicação do cartão amarelo à Kannemann, que o tirou da grande decisão, e ainda do pênalti não assinalado pelo árbitro, quando Jael foi derrubado dentro da área, já nos acréscimos.

O confronto foi marcado também por Cícero. O jogador que saiu do banco de reservas na segunda etapa, marcou o gol que deixou o tricolor em vantagem para a decisão, aos 37 minutos do segundo tempo, após assistência de Jael.

Foto: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Na segunda partida, disputada no Estádio Ciudad de Lanús em Lanús, com gols de Fernandinho e Luan, o tricolor venceu pelo placar de 2 a 1. Naquele 29 de novembro de 2017, o tricolor se tornou o Tricampeão da América.

Foto: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Uma nova história passou a ser escrita desde a noite deste 2 de outubro de 2018. Na Arena do Grêmio, o tricolor confirmou sua classificação ao vencer o Atlético Tucumán, pelo placar de 4 a 0. Na primeira partida na Argentina, a equipe já havia vencido por 2 a 0. Com o trinufo, o Grêmio chega a 9ª  disputa em semifinais da Copa Libertadores da América. Sendo a única a equipe a atingir tal feito, entre os brasileiros.

Confira os brasileiros que já chegaram à semifinal da Copa Libertadores:
São Paulo – 10

Grêmio – 9

Santos – 8

Cruzeiro – 6 (pode chegar à semifinal neste edição)

Internacional – 6

Palmeiras – 6 (pode chegar à semifinal neste edição)

Flamengo – 3

Atlético-MG – 2

Botafogo – 2

Corinthians – 2

Atlético-PR – 1

Fluminense – 1

Guarani – 1

São Caetano – 1

Vasco – 1

Foto destacada: (Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Comentários