D’Alessandro sobre novo posicionamento: “É uma evolução pessoal”


Por: Diogo Rossi, Jornalista, radialista e Repórter na @rdgrenal

O final de semana foi de comemoração no Estádio Beira-Rio. O meia D’Alessandro completou 350 jogos com a camisa do Internacional e, de quebra, ajudou a equipe a retornar à zona de classificação do Campeonato Gaúcho, após derrotar o São Paulo-RS. A reapresentação aconteceu ontem (21) e o capitão foi o escolhido para conceder entrevista coletiva, no CT Parque Gigante.

“São três meses de trabalho, com um treinador novo e a sensação de melhoria, uma melhora muito boa. Muitas vezes não se vê no resultado, não reflete essa melhoria nos resultados, mas nós que temos que analisar nossos jogos, para o caminho certo. Bom, essa marca de 350 jogos, em uma posição diferente nos últimos jogos, uma posição onde eu jogava lá no pré-infantil no River, que não existia o meia e eu jogava pela esquerda. Para mim, é uma evolução pessoal. É uma posição mais ofensiva do que defensiva”, afirmou o argentino.

A disputa da Série B e a provável volta à elite do futebol brasileiro seguem sendo os principais objetivos do clube para a temporada. “Hoje no futebol, ninguém ganha mais com a camisa ou nome, no papel, hoje, é um time muito qualificado, mas no papel não existe mais, não tem bobo no futebol hoje. O Inter, se achar que vai entrar na Série B e achar que vai ganhar ao natural, está errado”, alertou.

Aos 35 anos, D’Alessandro foi questionado sobre a proximidade da aposentadoria: “A gente pode imaginar alguma coisa. Eu que sou apaixonado pelo futebol, meu pai e minha mãe fizeram de tudo para eu ser atleta. Nunca me deixaram faltar nada, a gente não tinha tudo, mas eles sempre trabalharam para eu ter uma bola e a minha chuteira para ir jogar. Posso imaginar que vai ser um golpe muito forte, a gente se prepara. Nós temos uma vida útil, nos últimos anos tem que se preparar pra ver o que vai fazer no futuro”, finalizou o ídolo.

Confira a entrevista coletiva:

 

 

Comentários