Conselho do Inter faz pronunciamento sobre relatório da gestão Vitório Píffero


Por: Valéria Possamai,

O Conselho Deliberativo anunciou na tarde desta segunda-feira, os próximos passos relativos à decisão da Comissão Especial referente às contas da gestão Vitório Piffero, de 2015 à 2016, ano do rebaixamento do time para a Segunda Divisão.

Conforme o pronunciamento, todo o relatório produzido pela Comissão Especial foi enviada a todos ex-dirigentes da gestão 2015/16, que poderão recorrer à decisão no Conselho Deliberativo, apresentando recursos de defesa em até dez dias úteis. O prazo começou 27 de setembro e termina em 10 de outubro.

No relatório produzido pela Comissão Especial de Apuração do Conselho Deliberativo foram elencados 15 fatos que transcorreram no mandato do ex-presidente Vitório Piffero, e que careciam de análise em relação à gestão. Do total, em nove foi constatado que não houve irregularidades. Além disso, um foi considerado fora da análise de competência da Comissão Especial.. Este ponto específico foi encaminhado ao Ministério Público, onde já uma investigação em andamento referente a este caso envolvendo a gestão de Vitório Piffero.

O MP também recebeu a decisão da Comissão Especial formada por sete conselheiros do clube. Este relatório ajudará o órgão na investigação que já está em andamento.

Assim, cinco fatos da gestão de Piffero se configuram como gestão temerária no período 2015-2016 e portanto, serão analisados em Sessão Extraordinária da Mesa do Conselho Deliberativo do Clube.

 

Julgamento

Conforme o presidente do Conselho Deliberativo do Inter, Sérgio Juchem, o relatório apresentado pela Comissão Especial será analisado em uma Sessão Extraordinária do Conselho Deliberativo do clube, a ser realizada na segunda quinzena do mês de outubro. Serão convocados os 347 membros do Conselho Deliberativo do Inter, destes apenas os SETE envolvidos na Comissão Especial não votam.

Na mesma data, haverá o julgamento por parte do Conselho se houve gestão irregular ou temerária dos ex-dirigentes envolvidos na gestão 2015/16, também citados no relatório da Comissão Especial.

Se caso forem punidos, os ex-dirigentes Vitório Píffero, Pedro Affatato, Alexandre Limeira e Emídio Marques Ferreira podem ficar inelegíveis para qualquer cargo eletivo em entidades desportivas profissionais por até 10 anos.

*Com informações do repórter Paulo Nunes

Comentários