Campanha no Ceará, Idolatria por Renato e sonho de carreira: confira a entrevista exclusiva com o técnico Lisca


Por: Valéria Possamai,

O programa Dupla Debate da Rádio Grenal, desta segunda-feira (24), contou com um convidado especial. Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi, mais conhecido como Lisca, atual treinador do Ceará, que na manhã deste domingo esteve em Porto Alegre, para o duelo contra o Grêmio, participou de um bate-papo com os integrantes do programa.

Em entrevista exclusiva, o treinador falou a respeito da briga pelo título do Brasileirão, destacando às possibilidades da dupla Gre-Nal: “Os dois times têm chance grande de levar o título. Claro, que precisa de uma análise da tabela, da ordem dos adversários, porque na disputa de pontos corridos isso influencia, principalmente no terço final, porque são adversários diferentes. Mas os dois estão vivos. O Inter por ter feito boa competição  até agora. E quando se consegue chegar nas últimas dez rodadas com possibilidade de título, você é candidato. O Grêmio pela potência que é, pelo trabalho de dois anos do Renato, pelo que eu vi dentro do campo, pela produção e qualidade da equipe. Claro que tem percentuais, análises, mas isso tudo é suposição. Suposição é suposição, realidade é realidade.”

O técnico do Ceará também falou a respeito da atual campanha de seus comandados. Com 27 pontos, o time está na 17ª colocação. Para evitar a queda no rebaixamento, Lisca já tem a “receita”.

“Levo em conta o número de corte para a permanência na série A.  Pela experiência nos últimos, 44 pontos. Estamos com 27, então precisaríamos de mais 17. Muita gente tem falado em 42 ou 43, mas também é suposição e pode mudar. Meu objetivo e até pela minha experiência em trabalhar nestas situações, é buscar a zona de corte. Nossa preocupação é chegar aos 44, que nos faltam seis vitórias ou cinco, e dois empates. Quando cheguei no Ceará a possibilidade de rebaixamento era de 93%, hoje é de 26%”, pontou o comandante do vozão.

Durante a entrevista, o treinador que enfrentou o Grêmio na última rodada, também falou sobre a relação com o técnico gremista. “Idolatria. Eu era menino quando o Renato surgiu e pude observar ele jogando, como treinador, dando sequência na carreira. É um cara que admiro muito pela gestão de grupo, pela liderança, é um cara muito vitorioso no futebol desde que ele saiu de Bento, quando era padeiro, para vir para o Grêmio. Com certeza, é o maior ícone da história do clube. Admiro muito as pessoas que tiveram uma trajetória e cresceram na vida.”

Aos 46 anos, Lisca também revela o grande sonho profissional. Do início nas categorias de base, o treinador agora almeja estar na elite do futebol brasileiro: “Me firmar no mercado dos doze maiores times do Brasil, esse é o meu grande sonho. Que é os quatro times paulistas, quatro cariocas, dois mineiros e os dois gaúchos. Acho que é o sonho de todo treinador brasileiro, que começou nas categorias de base, que veio lá de baixo e que aspira entrar neste mercado, para poder se firmar. Isso acontecendo, quer dizer que eu tive sucesso na minha carreira profissional.”

Quando questionado sobre a seleção brasileira, o técnico revela: “Não tenho isso como uma situação de meta. Acho que é consequência de um trabalho, de resultados, de uma história. O sonho é entrar neste nível de clubes gigantes do futebol brasileiro, que fica mais próximo.”

(Foto: Fabio Lima/O POVO)

Comentários