Agência de Viagens investigada na gestão Piffero segue prestando serviços ao Inter


Por: Valéria Possamai,

Uma das empresas investigadas pelo Ministério Público do RS, que apura a apropriação e desvio de valores do Inter durante a gestão de Vitorio Piffero, segue prestando serviços a atual gestão do Inter.  Trata-se da Piratini Agência de Viagens, que é alvo de investigação por “estilionato” durante o período 2015 e 2016.

De acordo com as informações divulgadas pelo jornal Correio do Povo, o Inter repassou a empresa Piratini um valor entorno de R$ 21,7 mil, referente à compra de passagens aéreas. A ação consta na contabilidade do clube e está dentro da normalidade, contudo, esta mesma prestadora de serviços está envolvida no esquema montado para desviar recursos do clube durante a gestão de Piffero. Atualmente, a empresa também atua na intermediação de serviços para as categorias de base, como fretamento de ônibus, por exemplo. 

A reportagem da Rádio Grenal entrou em contato com o Inter, que informou que irá se pronunciar nas próximas horas.

A agência de viagens que já tinha relação comercial com os empreendimentos do vice-presidente à época, Pedro Affatato, passou a prestar serviços para o clube a partir de maio de 2015. Mesmo sem contrato formal, a empresa passou a intermediar a compra de passagens e de serviços de hospedagem, quando recebeu mais de R$ 1,9 milhão até o final da gestão.

De acordo com a apuração do MP, a Piratini repassou R$ 169 mil para Pedro Affatato. A empresa também foi um dos 20 alvos da Operação Rebote, que, em dezembro passado, cumpriu mandados de busca e apreensão em investigação que apura a ocorrência dos crimes de apropriação indébita, estelionato, organização criminosa, falsidade documental e lavagem de dinheiro em investigação do MP.

Vale lembrar que, além do presidente Piffero e do vice Affatato, a operação investiga outros dirigentes que faziam parte da gestão: Alexandre Silveira Limeira, que era vice-presidente de Administração, Emídio Marques Ferreira, vice-presidente de Patrimônio, Marcelo Domingues de Freitas e Castro, vice-presidente Jurídico, e Carlos Capparelli Pellegrini, que atuava como vice-presidente de Futebol também fazem parte da lista de investigados. Também são apuradas as condutas de empresários de futebol, além de pessoas vinculadas a empresas de construção civil, de turismo e de contabilidade.

Foto: (Marjuliê Martins/MPRS)

Comentários

>